Depressão é uma doença perigosa, mas tem tratamento | Jornal Plural
6 jan 2021 - 10h02

Depressão é uma doença perigosa, mas tem tratamento

Transtornos como a depressão são tratáveis ​​com remédios e psicoterapia

Dados alarmantes da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que a cada 40 segundos um ser humano comete suicídio. Boa parte dos óbitos são do sexo masculino.

Mal-estar, tristeza, sentimento de culpa, alteração de apetite, desânimo, insônia, são sintomas que devem ser observados, pois podem indicar um quadro depressivo. De acordo com a médica psiquiatra Luana Zen , “a depressão tem origem multifatorial, pode ser várias coisas que geram a depressão, por isso é chamado de transtorno e não de doença”. As causas da depressão podem ser de origem genética, bioquímica cerebral ou eventos vitais. Na pior das hipóteses a depressão pode levar ao suicídio.

Dados da OMS mostram que quase 800 mil pessoas morrem anualmente em razão de suicídio. No brasil em 2016, foi contabilizado 6,1 suicídios por 100 mil habitantes no país. Ainda segundo a organização, ingestão de pesticidas, enforcamento e armas de fogo estão entre os métodos mais comuns de suicídio em nível global.

Para a psiquiatra Luana Zen o suicídio tem como motivo alguns fatores, conhecidos como os três “D” da depressão. “Desamparo, sensação de que ninguém está se importando. Desvalorização, sentimento de que é um peso. Desesperança, acreditar que não vai ter saída ”.

O suicídio pode ser evitado se uma pessoa procurar ajuda. Transtornos como a depressão são tratáveis ​​com acompanhamento psiquiátrico e psicoterapia. “Os quadros leves moderados podem ser tratados com psicoterapia, em casos graves, tratamento medicamentoso. Deve ser tratado, pois tende a se tornar crônico e ficar indo e retornando”, relata a Dra. Luana.

No Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV), centro de prevenção ao suicídio, atende voluntária e gratuitamente, sob sigilo total, por telefone (basta discar 188), e-mail e chat 24 horas todos os dias.

Dados do Departamento de Informática do SUS (Datasus), apontam que o Brasil teve em 2018, 13.697 óbitos em decorrência de transtornos mentais e comportamentais. Desses dados aproximadamente 70% foram do sexo masculino. Homens são a maior porcentagem dos casos de suicídio por transtornos mentais, como a depressão. Gatilhos como términos de relacionamento, problemas financeiros e doenças crônicas, são fortemente associados a casos suicidas.

Sofrimento

O microempreendedor Willian Lauro, 28 anos, em 2012 teve um caso grave de depressão, motivado pelo término de seu relacionamento. Para dar um fim ao sofrimento, Willian chegou a pensar em suicídio. “Quando percebia que não daria conta de me tratar, e sem o apoio dos meus pais, eu acordava pela manhã e pedia pela morte.” E relata que chegou a andar de moto na contramão de propósito para tentar se matar.

Image for post
Willian hoje é grato pela vida e tem novas paixões, como o motociclismo. Foto: Gercika Lisboa

Cansado dos sofrimentos causados ​​pelo transtorno, Willian buscou ajuda médica. Começou a fazer caminhadas, foi à igreja e buscou se concentrar no trabalho, na família e na sua vida. E relata que o videogame foi um aliado. “Jogar on-line me deu a oportunidade de conhecer pessoas do mundo todo, e ter experiências maravilhosas”.

Práticas complementares

A depressão geralmente é tratada com medicamentos ou psicoterapia, até mesmo os dois tratamentos aliados. No entanto, cada vez mais cresce o número de pessoas que buscam terapias alternativas como forma complementar aos tratamentos de saúde tradicionais.

Flora Dominguez, terapeuta Holística e coaching de vida, após ser vítima de depressão e ansiedade, iniciou os estudos de forma experimental sobre terapias alternativas, e ao se mostrar positivo os resultados, hoje investe nessa prática para atender seus pacientes.

“Ao utilizar os medicamentos, psicoterapia e a terapia alternativa, se tem êxito”, relata Flora. Pesquisas comprovam que sua utilização é capaz de reduzir, os sintomas de depressão. Flora utiliza em seus atendimentos técnicas como: aromaterapia, reiki, terapia em mandalas, relaxamento guiado, dentre outras.

Image for post
“Terapia em Mandalas, é usada para descobrir o“ eu ”da pessoa, e o que ela está sentindo e vivendo no momento. Expresso por meio das mandalas ”. (Fonte: Flora Domingues, Foto: Gercika Lisboa)
Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Depressão é uma doença perigosa, mas tem tratamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias