Vereadores aprovam empréstimo de R$ 60 milhões para asfalto | Plural
escola-publica-de-qualidade
25 Maio 2020 - 15h14

Vereadores aprovam empréstimo de R$ 60 milhões para asfalto

Oposição questiona necessidade do projeto e transparência da Prefeitura de Curitiba no uso de mais verba para pavimentação. Justificativa de Greca é a pandemia

A Câmara de Vereadores de Curitiba aprovou nesta segunda-feira (25), por 29 votos a 7, o projeto de lei do prefeito Rafael Greca (DEM) que libera crédito de R$ 60 milhões junto ao Banco do Brasil. A Prefeitura quer utilizar esse dinheiro para pavimentação alternativa da cidade. O objetivo de Greca é cumprir a sua promessa de campanha e asfaltar um total de 400 km na Capital paranaense.

A discussão do primeiro turno do projeto teve duração de mais de duas horas e a votação foi marcada por questionamentos quanto a necessidade de novo empréstimo para fazer asfalto em Curitiba. Na proposta, Greca usou a pandemia como justificativa para receber mais dinheiro para as obras.

De acordo com o vereador Dalton Borba (PDT), Greca está violando a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) ao registrar a covid-19 como justificativa para receber o empréstimo. Para ele, a informação é incoerente por atribuir finalidade de saúde pública a um tema que, segundo a própria base do prefeito, foi deliberado em 2017.

Segundo o pedetista, o município deveria priorizar a elaboração de um plano estratégico para um eventual pico do coronavírus. O parlamentar afirma que caso isso aconteça, a Capital precisa estar preparada. “Usemos esse dinheiro em atos mais urgentes”, afirma.

De acordo com a vereadora Maria Letícia (PV), votar uma proposta como essa em regime de urgência é um desrespeito para a democracia. A parlamentar aponta que um documento anexo ao projeto explica que a própria Prefeitura só recebeu R$ 14 milhões do empréstimo em pauta.

Segundo a base do prefeito, o projeto é apenas uma readequação de juros para o Executivo. No entanto, 66% do valor ainda deve ser recebido e executado no orçamento do Município. Maria Letícia destaca que não está claro onde os R$ 46 milhões que restaram vão ser aplicados. O seu questionamento foi reforçado pela oposição.

Críticas à gestão Fruet

De acordo com o líder do prefeito, Pier Petruzzielo (PTB), a oposição está criando uma narrativa para colocar o povo curitibano contra a Prefeitura. Segundo ele, o mesmo foi feito nas votações do Plano de Recuperação de Curitiba em 2017, e na ampliação das contratações de servidores temporários por Processo Seletivo Simplificado (PSS), no ano passado. No caso do ajuste fiscal de três anos atrás, a votação aconteceu na Ópera de Arame.

Pier fez críticas à gestão passada do ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT), que também será um dos adversários de Greca nas eleições deste ano. O líder do prefeito também tinha uma posição de destaque na base de Fruet na última gestão. Para falar do pedetista, não citou nomes, mas disse que a gestão passada não teve competência e nem credibilidade para ir buscar empréstimos.

O parlamentar classificou a visão da oposição como “aculturada” e subiu o tom no debate. Além disso, avisou que iria passar a responder ao que ele define como falso e que serve só para prejudicar o trabalho de Greca. Em sua fala, Pier sequer cedeu os chamados “apartes” para as vereadores Noemia Rocha (MDB) e Professora Josete (PT). Esse conceito se refere às intervenções de um parlamentar na fala de outro membro do Legislativo. O objetivo é sempre perguntar, esclarecer ou contestar um pronunciamento.

Outra questão é que, embora esteja na justificativa do projeto, membros da base do prefeito falaram diversas vezes que o empréstimo para o asfalto não era para a pandemia, mas sim para fazer a cidade progredir e evoluir na sua estrutura viária.

Terceiro empréstimo

Este é o terceiro empréstimo para asfalto que passa pela Câmara. Nos últimos três anos, Greca já conseguiu aval dos vereadores para usar R$ 150 milhões em pavimentação; e em dezembro do ano passado teve direito a mais R$ 250 milhões. Apesar disso, a Prefeitura alega que só usou R$ 221,8 milhões nas obras de asfaltamento da cidade.

O projeto do Executivo municipal libera uma requalificação da estrutura na cidade, que poderá ser feita com obras de fresagem e recape. A primeira é o passo inicial para fazer um asfalto novo, sendo fundamental para reabilitar pavimentos danificados. Depois disso, a capa asfáltica é colocada.

A proposta de empréstimo para o asfalto passará por uma segunda votação na terça-feira (26). Caso aprovada, deve seguir para sanção do prefeito Rafael Greca.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?
0 0 voto
Article Rating
Subscribe
Notificação
guest
0 Comentários
Comentário no texto
Ver todos

Últimas Notícias

0
Adoramos ouvir você, deixe seus comentáriosx
()
x