UP demite professor com 20 anos de casa | Jornal Plural
Clube Kotter
4 ago 2020 - 21h28

UP demite professor com 20 anos de casa

Positivo fez novos desligamentos em agosto, entre eles está Luiz Witiuk, do curso de Jornalismo

Quantos admiradores um bom professor é capaz de atrair ao longo de 20 anos dando aulas em uma mesma instituição de ensino? O radiojornalista Luiz Witiuk está passando por essa descoberta desde segunda-feira (4), quando seu contrato com a Universidade Positivo (UP) foi encerrado, gerando grande comoção entre alunos e egressos. 

“Muito mais que um excelente professor e incentivador, uma pessoa fora de série. Sem você, querido Luiz Witiuk, eu nem sequer teria forças para seguir adiante no curso de Jornalismo. Toda a minha trajetória profissional eu devo a você”, disse uma ex-aluna no Facebook. “Luiz Witiuk é rei, não importa o que digam. Aprendi muito com ele. Se sou a profissional de hoje, foi porque ele indicou o caminho”, escreveu outra egressa.

Witiuk conta que a notícia o pegou de surpresa. “No começo do mês de julho, quando começou a pipocar demissão na UP, fui me certificar de que não estava na lista. Foi me dito que o que tinha pra acontecer já tinha acontecido. Estava tudo bem. Então, durante o recesso, preparei minhas aulas para o segundo semestre. Mas na segunda-feira, com tudo pronto para a retomada das aulas, foi me dito que eu estava dispensado, agradeciam etc e tal.” 

Poucos dias antes, no 1º de agosto, ele havia completado 20 anos como professor do curso de Jornalismo da UP. “Hoje estou com 72 anos, mas não sinto que tenho 72. A cabeça está muito boa, graças a Deus”, diz. “O que mais me doeu foi exatamente o momento. Eu só tenho esse emprego, não trabalho em nenhuma outra área. Isso meio que deixa a gente desesperançado, né? Apesar da experiência e de toda a vitalidade que eu tenho para encarar uma sala de aula, o espectro do mercado é difícil.”

O professor também se mostra preocupado com os caminhos que a universidade vem trilhando nos últimos tempos. “É triste porque você começa a perceber que o curso vai perdendo a força que ele sempre teve. Não por causa de mim, mas pelo contexto. É um curso de Jornalismo muito bom, posso dizer isso, e aos poucos ele perde qualidade por conta de uma série de restrições aplicadas, inclusive demissão de professores.”

O único aspecto positivo é o carinho que ele vem recebendo. “A enxurrada de mensagens de alunos atuais e de alunos lá de trás é uma coisa impressionante. Isso me dá um certo alento neste momento de profunda frustração profissional. Foram 20 anos bem vividos. Tive muita autonomia e liberdade para ensinar. Hoje, ver grande parte dos alunos bem colocados no mercado de trabalho é uma alegria indescritível. Essa alegria eu levo pra minha vida.”

Witiuk lecionava Radiojornalismo. Foto: Gustavo Panacioni

Novas demissões

O Plural apurou que outros profissionais foram demitidos neste começo de mês: além de Witiuk, pelo menos mais dois docentes do curso de Design estão na nova lista de desligados. O SIAE (Serviço de Informação e Apoio ao Estudante), setor que prestava apoio emocional aos estudantes, também sofreu cortes. “Praticamente todos os psicólogos foram demitidos, restando apenas um para cuidar de tudo”, afirma uma fonte anônima.

Vários estagiários também foram mandados embora. Os professores que ficaram tiveram os salários reduzidos em 25%. “A Cruzeiro queria economizar R$ 3 milhões. Mas depois que demitiu todo mundo e foi fazer as contas, em julho, viu que não chegou lá, chegou em R$ 2,6 milhões ou algo assim. E aí mandou cortar mais”, diz outra fonte ouvida pela Reportagem.

O Grupo Cruzeiro do Sul não esclareceu quantos funcionários foram demitidos, mas enviou uma nota à Redação. Leia na íntegra:

“Neste momento triste e sem paralelos de crise mundial que se abateu sobre o Brasil desde meados de março e atinge a praticamente todos os setores da economia, a Cruzeiro do Sul Educacional/Universidade Positivo segue o seu processo de restruturação, que infelizmente e inevitavelmente inclui desligamentos, entre outras adaptações de custo necessárias, de modo a manter e preservar minimamente a saúde financeira, a qualidade de sua operação e a pontualidade dos seus compromissos, assim como – e principalmente – os milhares de empregos que continuarão a ser gerados em um futuro que se espera próximo e melhor.

A Cruzeiro do Sul Educacional reconhece e agradece a valiosa contribuição dos colaboradores que estão, neste momento difícil para todos, sendo desligados. Ao mesmo tempo, tem a certeza de que continuará a desenvolver seu projeto nacional de qualidade com ainda mais afinco, assim como tem demonstrado ao longo dos últimos anos melhorando, sem exceção, os indicadores acadêmicos oficiais de todas as instituições de ensino incorporadas. Que este momento excepcional seja breve e que a retomada seja vigorosa, bem como demande um número muito maior de contratações.”

Resiste UP

O movimento Resiste UP, liderado por alunos da instituição, fez uma reunião com o pró-reitor Roberto Di Benedetto nesta terça (4). Segundo eles, o profissional disse que não haverá novas demissões de professores e cancelamento de cursos até dezembro. “E pretendem continuar assim para 2021, com possíveis recontratações”, afirmam.

Os projetos de extensão continuam suspensos, mas Benedetto teria confirmado que a universidade prevê retomada gradual ainda este ano. Além disso, ele teria reconhecido a falha na comunicação/transparência com alunos e dito que pretende corrigir.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

2 comentários sobre “UP demite professor com 20 anos de casa

  1. Sai o professor, produtor de conhecimento, e fica lá, há quase vinte anos, o reitor, que acha tudo um “azart tremendo”. Incompetência, acomodação e inoperância estão ali. Se dependesse da meritocracia que ele tanto defende…já estava longe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias