Tempestade não ajuda no problema da falta d´água | Jornal Plural
Clube Kotter
1 jul 2020 - 14h39

Tempestade não ajuda no problema da falta d´água

Apesar da chuva, barragens continuam com níveis muito baixos de água

Nível da barragem do Passaúna está em 60,21%. Foto: Caroline Olinda

A tempestade desta segunda-feira (30) pode ter causado a ilusão de que, apesar dos estragos causados, ajudaria a resolver o problema da falta crônica de água em Curitiba. Não foi o que aconteceu: apesar dos ventos fortes e da chuva, só houve precipitação de 15 milímetros na cidade, o que não é suficiente nem para começar a diminuir a estiagem.

A cidade sofre um dos anos com menor quantidade de chuvas nos últimos quarenta anos, o que levou o governo do estado a decretar emergência hídrica. A Sanepar organizou um rodízio de corte de água em toda a cidade. A cada cinco dias, os moradores ficam 36 horas sem abastecimento.

A situação de três das quatro represas responsáveis pelo abastecimento de água potável na cidade continua grave. A barragem do Passaúna está com 38% de sua capacidade, e a Piraquara 1, com 34%. A situação mais drástica é a do Iraí, que baixou nesta semana de 17% para 16%. Apenas a represa Piraquara 2 está normal, com 94% de sua capacidade.

A previsão da meteorologia e da própria Sanepar é de que só a chegada do verão, no final do ano, poderá mudar o quadro de maneira mais sensível, com o período de chuvas que se inicia em novembro. Até lá, o pedido é para que os moradores não desperdicem e usem a água potável com cuidado.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias