O que significa fechar uma UPA? | Jornal Plural
23 nov 2020 - 13h06

O que significa fechar uma UPA?

Fechamento da Unidade Fazendinha afeta 190 mil pessoas da regional do Portão

Na última sexta-feira (20), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) conseguiu agir rápido e abrir 94 leitos extras, exclusivos para Covid-19. Isso só foi possível por causa de uma medida drástica: o fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Fazendinha. É lá que estão instalados 38 dos 53 leitos clínicos novos da prefeitura.

Mas qual o custo disso? Em termos financeiros ainda não está claro, mas o Plural foi atrás. Procuramos nos registros da Comissão de Urgência e Emergência do Conselho Municipal de Saúde (CMS) para ver a dimensão da relevância da UPA Fazendinha no Sistema Único de Saúde (SUS) da Capital e para a população que depende dela.

Área de espera da UPA Fazendinha. Prédio é um galpão adaptado, com pé direito alto. Foto: Google Maps

Os dados são de 2018 e 2019. Em 2020, o CMS encerrou a Comissão de Urgência e Emergência, deixando de divulgar os dados das UPAs da cidade.

A UPA Fazendinha atende uma população de cerca de 190 mil pessoas da regional Portão. Em média, considerando os registros de janeiro de 2018 a dezembro de 2019, a unidade realizou 10,6 mil atendimentos por mês. Isso corresponde a quase 9% do total de atendimentos realizados em todas as UPAs de Curitiba.

De todos os atendimentos do Fazendinha, 20% são de pacientes entre 0 e 17 anos, dos quais 2% são de casos críticos e 15% são graves (dados de dezembro de 2019).

Já nos atendimentos de adultos, 5% são de casos críticos e 2,3% de casos graves (dados de dezembro de 2018 porque o relatório de 2019 não incluía esse detalhamento). Mais de mil exames de raio-x são feitos no local por mês.

Em 2020, o número de atendimentos nas UPAs vinha caindo. Ao fechar as portas para servir de retaguarda para o Hospital do Idoso, a UPA deixa uma lacuna no atendimento, não só de casos de suspeita de Covid-19 mas de outras condições médicas importantes.

O fechamento da UPA Fazendinha também vem num momento em que as outras unidades estão sob pressão. No último dia 17, a prefeitura determinou que as UPAs passassem a só atender casos moderados e graves de pacientes respiratórios. Os casos leves são orientados a procurar o teleatendimento no telefone 3350-9000.

Sem a unidade Fazendinha, a situação das demais deve piorar. Se precisarem de atendimento, os pacientes da região devem procurar a UPA CIC (a 3,6 km de distância), a UPA Campo Comprido (a 7 km de distância) ou a UPA Pinheirinho (também a 7 km). As três atendem o mesmo volume de pacientes por mês.

Estrutura

Fachada da UPA Fazendinha, ao lado da Rua da Cidadania. Foto: Google Maps

Segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, a UPA Fazendinha tem uma estrutura que compreende:

  • 8 consultórios médicos
  • 1 sala de atendimento pediátrico
  • 10 leitos de observação
  • 3 leitos de observação pediátricos
  • 6 desfibriladores
  • 6 monitores de eletrocardiograma (ECG)
  • 7 reanimadores pulmonar
  • 1 respirador
  • 450 profissionais
  • 115 médicos, sendo 8 pediatras
Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

2 comentários sobre “O que significa fechar uma UPA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias