Hospital de Clínicas tem atendimento prejudicado por falta de funcionários | Plural
3 dez 2019 - 22h02

Hospital de Clínicas tem atendimento prejudicado por falta de funcionários

Dois ambulatórios não abriram nesta terça. Trabalhadores da secretaria foram demitidos em processo coletivo

Após a mais recente demissão de 150 trabalhadores da Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar), o atendimento no Hospital de Clínicas (HC) de Curitiba foi prejudicado. Na manhã desta terça-feira (3), ao menos dois Serviços de Ambulatório Médico (SAM) não abriram as portas.

A justificativa aos pacientes é de que não havia funcionários para o trabalho. “Continuam chegando relatos. Por conta da demissão dos trabalhadores da Funpar, a situação nos ambulatórios do HC está um caos. Filas muito maiores do que o normal”, diz Daniel Mittelbach, coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no Paraná (Sinditest-PR). 

Segundo a entidade, dos quatro funcionários administrativos de um dos ambulatórios, três foram afastados e um está de atestado. “Então, não tem quem pegue os prontuários e faça os agendamentos de consultas. Estão querendo forçar os auxiliares de enfermagem, que trabalham na assistência, a fazer essa parte administrativa.”

O HC não respondeu aos questionamentos do Plural quanto ao número exato de ambulatórios fechados, pacientes não atendidos e outros setores afetados. Também não confirmou qual o saldo da última demissão em massa, prevista em acordo judicial, que prevê o desligamento gradativo – ainda este ano – de todos os trabalhadores da Funpar no HC.

Em nota, o hospital afirmou apenas que “especificamente na data de hoje (3), tivemos um número elevado de absenteísmo de funcionários das secretarias de SAMs. Tão logo tomamos conhecimento da situação, deslocamos profissionais de outros serviços para dar cobertura e esses postos”.

Filas se prolongaram pelos corredores do Serviço de Ambulatório Médico (SAM). Foto: Sinditest
Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias