Candidato a reitor diz que UFPR é doutrinadora e assistencialista | Jornal Plural
20 jul 2020 - 21h25

Candidato a reitor diz que UFPR é doutrinadora e assistencialista

Há quem aposte que estratégia de Horácio Tertuliano é conseguir nomeação de Bolsonaro mesmo sem muitos votos; professor nega rótulo de bolsonarista

O reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ricardo Marcelo Fonseca, terá um único oponente na sua tentativa de chegar ao segundo mandato. Horácio Tertuliano Filho, diretor do Setor de Tecnologia da universidade, parece longe de ter força para derrotar o atual reitor nas urnas, mas conta com uma arma poderosa no Brasil atual: sua maior proximidade ideológica com o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

A leitura que muita gente faz na UFPR é que Tertuliano sabe que não tem chances de bater Ricardo Marcelo no voto. No entanto, pelas regras do jogo, os votos de professores, técnicos e alunos servem apenas como uma consulta interna. Depois disso, o Colégio Eleitoral envia uma lista tríplice a Brasília, e a escolha final cabe ao presidente.

Tradicionalmente, os candidatos derrotados na consulta retiram-se da disputa para sequer constar da lista tríplice. Mas em tese, Tertuliano, por mais que não consiga muitos votos, pode ser escolhido pelo presidente – algo que vem ocorrendo em outras universidades federais do país desde a posse do atual governo.

Tertuliano nega que seja essa sua estratégia na UFPR. Em entrevista ao Plural, disse que essa é apenas uma pecha que seus adversários tentam colar nele. “Estou na disputa para ganhar”, afirma. “Ficam falando em reitor interventor. Interventor não participa de eleição, de consulta, não se expõe, não dá a cara pra bater”, afirma

Embora admita ter votado em Bolsonaro em 2018, Tertuliano não gosta do rótulo de bolsonarista. “Precisamos acabar com essa partidarização da universidade”, afirma.

Embora recuse o rótulo de bolsonarista, o diretor do Setor de Tecnologia tem um discurso que se aproxima bastante do que o MEC e o presidente têm dito sobre as universidades brasileiras. Em entrevista ao Plural, ele afirma ter saído candidato em função de três problemas que vê na universidade. Todos estão na pauta do atual governo.

O primeiro ponto, segundo ele, é o excesso de entraves para que a universidade tenha maior parceria com a iniciativa privada, tanto na formação dos alunos quanto para arranjar colocação para os formandos no mercado de trabalho.

Em segundo lugar, segundo o professor, a UFPR teria se transformado em um “centro de formação ideológica”. “O papel da universidade é formar profissionais, é formar técnicos, não é incentivar a militância”, diz.

O terceiro ponto, diz ele, é um suposto assistencialismo da universidade. Tertuliano afirma não se opor às cotas, mas diz que é preciso pensar que não se pode lotar um curso de Medicina, por exemplo, com alunos que não vão ter condições financeiras. “Vai baixar o nível do curso”, ele diz. O professor também cita o caso dos indígenas: “Você pode trazer o índio, mas se trouxer a família toda dele vai desestabilizar a família”, afirma.

Segundo Tertuliano, é muito cedo para se falar em lista tríplice e na escolha que o presidente fará. “Querem fazer parecer que nossa chapa não tem chance”, diz. De acordo com ele, não é assim, embora 12 dos 15 diretores de setor hoje apoiem a reeleição de Ricardo Marcelo.

Sobre a avaliação que faz de Jair Bolsonaro e da gestão da cultura, Tertuliano diz que na sua opinião não cabe a um professor de universidade federal se posicionar contra o presidente. “Não posso me posicionar contra quem paga meu salário”, diz.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

16 comentários sobre “Candidato a reitor diz que UFPR é doutrinadora e assistencialista

  1. Esse é o cara que procedeu a transferência dos e-mails institucionais da UFPR para a Microsoft? Esse é o cara que tá entregando a pesquisa científica da UFPR para o Bill?

  2. Pessoal… vou ser bem sincero, não conheço o candidato Horácio e ele pode até ter defeitos, mas o simples fato de o atual reitor prof. Ricardo não ter feito nada para iniciar as aulas remotas logo após o início da pandemia mostra um total despreparo e falta de comprometimento dele com a educação. Sério, meu primo estuda em uma Faculdade Privada Ctba e ele conseguiu terminar o semestre tranquilamente no curso de ADM pois exatamente uma semana depois que as aulas foram suspensas eles começaram com as aulas remotas online, e toda a Faculdade foi do mesmo jeito. Sério meu curso de Ciências Sociais na UFPR não fez nada, pois não houve uma atuação do reitor para permitir aulas online. Ficaram olhando. Agora minha formatura prevista para Fev2021 ficou para 2022, e olhe lá se voltar aula mesmo ano que vem. Resumindo, obrigado prof. Ricardo por nada.

    1. Opa, tá reclamando de coisas que não sabes. Houve a demora sim, mas porque os departamentos participaram da construção de um modelo. Duvido que estejas na CS da UFPR pois saberias do processo todo que contou com a participação dos alunos. Então, faz um favor, vai logo para uma universidade privada e termina a tua faculdade. RESUMINDO: ninguém é obrigado a cursar uma universidade pública. Se não gosta, segue o rumo do teu coração!
      Só mais uma coisa: aqui não deixarei mentiras sem contestação.

    2. Amigo, com todo o respeito, era óbvio que as Instituições privadas iriam dar jeito de continuar com as aulas, afinal eles tem muito a perder com mensalidades e outros custos caso não continuassem, não pense que foi pensando na melhor educação de seus alunos/clientes. Já as Universidades Federais não tratando-se apenas de questões burocráticas, levam ainda em consideração a pluralidade de alunos da Instituição, principalmente pra tentar ao máximo oferecer as aulas em níveis de igualdade para todos que ali estudam e não apenas das pessoas que possuem totais condições de ter aulas remotas.

    1. Caro Isento: fui participar de um encontro virtual com o candidato e eleitores. O candidato, desrespeitando a [email protected] que estavam presentes, não apareceu. E aí? Vais querer que a gente diga o que? Que confiança inspira alguém que não dialoga com eleitores, que não traz as suas propostas? O último que fez isso, fugiu de debates, deu no que deu. Não dá para comentar o que o candidato falou porque ele NÃO FALOU. Sumiu… de fujão de debates, já basta o excelentíssimo sr. presidente. Na verdade, até esse está sobrando.

      1. Inicialmente reitor não é para ser idolatrado e sim cobrado. RM é compromissado com partido político e não com a UFPR e HT não tem conhecimento de gestão universitária. Você Vera deve ter cargo na atual gestão UFPR e por isso idolatra canditado.

          1. Então Vera estou encerrando essa discussão tola agora, embora quem se viu preocupada com meu comentário foi você, pois acredito que vc anda como torcedora fanática por clube esporte reitor candidato, talvez por algum objetivo que queira conseguir e como as torcidas bolsonaristas e lulistas quer impor goela abaixo seu pensamento.

  3. Voltando ao título da matéria, é preciso dizer que é a mais pura verdade que a UFPR (e todo o resto da educação no país) é descaradamente doutrinadora e assistencialista.
    Doutrinadora porque replica mitos (tipo eurocentrismos, aristetolicismos-cristãos , isenção-ciêntífica, etc) sem se comprometer com a formação de [email protected] crí[email protected] e pensadores.
    Assistencialista porque assiste às elites e aos mais favorecidos, mesmo com cotas, só quem tem sorte de estar em família minimamente estruturada, sorte de não sucumbir às humilhações constantes, às violências da desigualdade social tem acesso a ela. Mas principalmente assistencialista às elites porque replica os mitos da meritocracia.
    Uma notinha em relação ao entrevistado: só um idiota sem a mínima noção de que a Universidade Pública é (ou deveria ser) republicana pode achar que é o presidente quem paga os salários do funcionalismo. Só um cretino diria que não cabe a um professor (seja lá de qual bodega for) se posicionar contra o presidente.

  4. Sou aposentado da UFPR mas desde minha graduação em 70/73, sou leak à instituição. Nesta eleição somente existe uma chapa competente e leal à UFPR: Horácio a Ana.

    1. Só rindo desses interesses escusos. Tirem as patas da UFPR, Horácio e Ana são bolsonaristas, foram contra o Reuni, as cotas, e tudo que democratizou a UFPR.
      A Ana Paula chegou a fazer falsa comissão de sindicância para emparedar professor agredido por aluno em seu setor. Não presta como ser humana, não presta como vice-reitora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias