Após três meses de interdição sem obras, Mário Tourinho flui | Jornal Plural
9 abr 2019 - 14h27

Após três meses de interdição sem obras, Mário Tourinho flui

Readequação no projeto adia construção de trincheira no Seminário

Com início em setembro de 2018, o projeto para a construção da trincheira no cruzamento entre a Avenida Nossa Senhora Aparecida e a General Mário Tourinho, no Seminário, modificou todo o trânsito na região. As vias sofreram alterações para que técnicos pudessem realizar as sondagens e iniciar as obras. A construção, de fato, nunca começou, nem tem data para começar.

Apesar disso, tapumes interditavam uma das vias da Mário Tourinho desde janeiro, complicando o tráfego de veículos na região. Nesta segunda (8), três meses depois, a Prefeitura retirou os empecilhos da via e informou que os trabalhos não têm data definida. O problema é a falta de peças, que precisaram ser substituídas e levaram a uma readequação no projeto.

Segundo a administração municipal, a construção previa estacas metálicas específicas, que no momento da compra, pela empresa vencedora da licitação, não estavam disponíveis no mercado. “A fabricante possuía para pronta entrega estacas distintas do modelo previsto no projeto, mas que atendiam os objetivos da obra e eliminavam o prazo de cerca de 12 meses de espera pela encomenda, fabricação e importação das peças originalmente projetadas. Diante do exposto, foram compradas 216 estacas, que totalizam 93 toneladas de material que já foram descarregadas no canteiro de obras próximo ao cruzamento. Fabricadas na Polônia, as peças serão utilizadas para estruturar as paredes laterais da trincheira”, informou a prefeitura, em nota.

Mesmo sem obra, Mário Tourinho teve bloqueio parcial da faixa da esquerda por meses. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Por conta da modificação no material, e no custo, o financiamento com a Caixa Econômica Federal precisou ser suspenso e será refeito. “A mudança na especificação das estacas e, também a substituição do material do pavimento da pista da trincheira, que no plano inicial era de asfalto e foi modificado para concreto, obrigou a readequação do projeto e, também, sua revisão pelo agente financiador da obra, a Caixa Econômica Federal, conforme está previsto no contrato de financiamento. Superada esta fase, os trabalhos serão retomados imediatamente”, diz o texto.

O que esperar

A construção da nova trincheira teve um custo inicial orçado em R$ 12,4 milhões. A verba vem do Ministério das Cidades, por meio do Programa de Mobilidade Urbana e Transportes (Caixa Econômica Federal). Com previsão de 10 meses, os trabalhos são acompanhados pelo Departamento de Pavimentação da Secretaria Municipal de Obras Públicas. Eles incluem: terraplenagem, drenagem, remanejamento de rede elétrica, construção da trincheira em desnível, pavimentação, sinalização, iluminação e paisagismo.

O projeto deve ampliar o fluxo de veículos na Mário Tourinho – que passarão embaixo da Avenida Nossa Senhora Aparecida –  e também a velocidade da Linha Direta Inter 2 (ligeirinho) e do Interbairros II, que juntas transportam 150 mil passageiros por dia. A expectativa é de que 41 mil veículos passarão pela Mário Tourinho. Na Nossa Senhora Aparecida, o cálculo da prefeitura é de que serão 15,6 mil veículos diariamente.

Plano da obra. Ilustração: IPPUC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias