Curitibana é finalista em prêmio de artes visuais e vai expor no Instituto Tomie Ohtake | Jornal Plural
28 jul 2020 - 18h44

Curitibana é finalista em prêmio de artes visuais e vai expor no Instituto Tomie Ohtake

Érica Storer de Araújo foi uma das dez selecionadas entre 456 inscritos no Prêmio EDP nas Artes e concorre a uma bolsa de residência internacional

A curitibana Érica Storer de Araújo foi uma das artistas selecionadas para o 7º Prêmio EDP nas Artes. Ela está entre os dez finalistas (de 456 inscritos) que devem concorrer a bolsas de residência no exterior.

Formada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Paraná, a artista explora, em suas obras, as relações entre performance e produtividade.

Araújo também participou da Programação de Performances da Bienal de Curitiba (2018), da Venice International Performance Art Week, na Itália, e da residência artística no ISBA/Besançon na França, ambos em 2020. Desde 2016, ela integra o coletivo Brutas com outras quatro artistas curitibanas.

O prêmio é realizado numa parceria do Instituto EDP Energias do Brasil com o Instituto Tomie Ohtake. Voltado para a produção artística contemporânea de jovens brasileiros, teve como jurados os artistas Arthur Chaves, Dora Longo Bahia e Elilson, além dos curadores Amanda Carneiro e Theo Monteiro.

O prêmio

Os contemplados devem ter entre 18 e 29 anos de idade. Além do prêmio em si, a iniciativa também envolve uma série de atividades: debates, oficinas, cursos, palestras, e até mesmo a visita da equipe de jurados aos ateliês dos selecionados para acompanhar a produção artística.

Apenas três dos dez selecionados são contemplados com bolsas, mas todos terão seus trabalhos expostos no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo (SP), no dia 1º de outubro (data a ser confirmada por causa da pandemia do coronavírus).

Exposição virtual

Por hora, é possível acessar um dos experimentos mais recentes da artista paranaense: uma exposição virtual, intitulada “O amanhã chegou mais cedo”.

Araújo fez a curadoria dos projetos expostos: “Resolvi, desta forma, reunir posicionamentos em relação as experiências com o TEMPO, colecionando algumas de suas diversas possibilidades”, escreveu ela, em suas redes sociais.

No ambiente virtual, cada obra pode ser vista individualmente, em detalhes. A plataforma indica as formas de interação com o conteúdo (vídeo, áudio etc.). O texto que acompanha a exposição, de autoria da artista/curadora, traz o nome dos artistas e o conceito do trabalho.



Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias