fbpx
Notícias de Curitiba | Vizinhança

Greve geral vai parar Curitiba nesta sexta-feira

Servidores estaduais exigem data-base. Foto: Ana Paula Shreider
Escrito por Mauren Luc
Compartilhe

Só não se sabe ainda se os motoristas de ônibus também vão parar. Os demais trabalhadores já votaram em assembleia e a grande maioria vai aderir à greve geral desta sexta-feira (14), que, além de Curitiba, deve paralisar as ruas de todas as capitais do Brasil. Convocada pelas principais centrais sindicais, a mobilização é contra a Reforma da Previdência, os cortes nas Universidades Federais e pela valorização do trabalhador, com a geração de mais empregos. No Paraná, além de bancários e metalúrgicos, funcionários públicos, como agentes penitenciários, policiais civis, militares, professores e outras dezenas de profissionais, se unem para reivindicar o reajuste salarial negado pelo governo Ratinho. A manifestação envolve também professores municipais e do Ensino Superior Privado.

A decisão pela adesão à greve nacional veio em assembleias, realizadas durante a semana. Na noite de ontem (11), na sede da APP Sindicato, na Capital, uma plenária unificada – organizada pelo Fórum das Entidades Sindicais do Paraná – encaminhou as últimas deliberações para a ação local, que tem início às 10h em frente ao Palácio Iguaçu. Professores e funcionários públicos farão pressão para que o governo estadual receba novamente uma comissão para discutir a data-base da categoria, sem reajuste desde 2016. E não houver acordo, a categoria já avisou: volta pra greve dia 25.

Na tarde desta sexta, a concentração será na Praça Santos Andrade, em frente à UFPR, com encerramento previsto para a Boca Maldita. Desde cedo, sindicatos preveem mobilizações em frente a empresas, como o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC), que promete ainda barulhentas carreatas. O Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro) deve reunir trabalhadores em frente à Repar.

“O Brasil vai parar, queremos uma aposentadoria justa e mais empregos. Todos os trabalhadores têm um desafio nesta sexta, mostrar que queremos discutir reformas justas, educação justa e mais empregos. Precisamos de uma pauta para o trabalhador, não podemos continuar divididos, precisamos mostrar que estamos insatisfeitos”, diz o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Sérgio Butka.

Bancários votaram por paralisar atividades. Foto: SEEB Curitiba

No interior do Estado, bases sindicais preparam ações nas cidades de Londrina, Maringá, Toledo, Cascavel, Umuarama, Francisco Beltrão e Pato Branco. Movimentos estudantis e populares, sociais do campo e ativistas de partidos políticos também irão se juntar aos grevistas. O Movimento dos Sem Terra (MST) vai mobilizar em dez cidades-polo e em municípios pequenos.

Professores de instituições privadas também vão participar. “É um momento de fortalecer a luta social. A proposta de Reforma da Previdência é extremamente lesiva aos trabalhadores, por isso mobilizamos a categoria e convocamos os professores do Ensino Superior Privado para aderir à greve e participar dos atos do dia 14”, reforça Valdyr Perrini, presidente do Sinpes.

Confira as categorias que confirmaram presença no ato desta sexta:

EDUCAÇÃO

  • Sismac: Docência e pedagogos das escolas municipais de Curitiba
  • Sismuc: Servidores Públicos Municipais de Curitiba
  • APUFPR: Docência da UFPR
  • Sindtest: Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Paraná (Hospital das Clínicas, técnicos administrativos da UNILA, UFPR, UTFPR)
  • Instituições Estaduais de Ensino Superior
  • APP-Sindicato: Trabalhadores em Educação Pública do Paraná
  • Sinpes: Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região

SERVIÇOS

  • Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região
  • Sinjutra: Servidores Públicos Federais da Justiça do Trabalho
  • SindSaúde: Servidores Estaduais da Saúde
  • SindiSeab: Servidores Estaduais do Meio Ambiente e da Agricultura

SEGURANÇA PUBLICA

  • Apra: Polícia Militar
  • Sindespol: Escrivães
  • Sipol: Policiais Civis
  • UPCB Bombeiros: Bombeiros militares
  • Sindarspen: agentes penitenciários
  • Adepol: Associação de delegados
  • Sinpoapar: Peritos
  • Assofepar, AVM e Amai: Associações de militares

INDÚSTRIA

  • SMC: Metalúrgicos da Grande Curitiba
  • Sindipetro: Petroleiros

REGIÃO METROPOLITANA

  • Sifar: Servidores Públicos de Araucária
  • Sismmar: Magistério Municipal de Araucária
  • Sinsep: Sindicato dos Servidores Públicos de São José dos Pinhais

PARANÁ

  • Sinssp-PR: servidores técnicos administrativos
  • Sinder: Estradas e Rodagem
  • SinDetran: Detran
  • Sindijus-PR: Servidores do Judiciário
  • SindiMP-PR: Servidores do Ministério Público
  • Sindijor-PR: Jornalistas

DEMAIS CIDADES DO ESTADO

  • Assuel (Londrina)
  • Sindiprol/Aduel (Londrina)
  • Sinteemar e Sesduem (Maringá)
  • Sinteoeste e Adunioeste (Cascavel)
  • Sintespo (Ponta Grossa)
  • Sintesu (Guarapuava) Unespar (7 universidades)

Sobre o autor

Mauren Luc

Mauren Luc é jornalista, especialista em Educação e Valores Humanos. Com atuações em reportagem, produção e edição de conteúdo, colaborou com diferentes veículos, redações e assessorias de Comunicação. Presidiu o Grupo de Apoio à Adoção Romã e integrou a direção do Sindijor-PR. Acredita que a verdadeira Comunicação Social se faz na pluralidade de vozes e em pautas que traduzam realidades esquecidas e soluções transformadoras.

Deixe seu comentário