fbpx

Traiano pede que bancada da bala não apareça armada no plenário

Compartilhe

Numa reunião dos deputados estaduais nesta segunda-feira, o presidente Ademar Traiano (PSDB) fez, meio em clima de brincadeira, um apelo para a bancada da bala. Foi durante a apresentação da reforma que o governo Ratinho Jr. (PSD) está promovendo para reduzir secretarias.

Traiano pediu a Mauro Moraes (PSD) que os deputados da Comissão de Segurança Pública não apareçam em plenário armados. A comissão deve reunir boa parte dos bolsonaristas eleitos para o mandato – em grande parte, gente vinda da Polícia Militar e da Polícia Civil.

Há muito tempo não se ouve falar de armas dentro do plenário da Assembleia, mas em décadas passadas isso era costumeiro. Aliás, no Senado já houve até caso de tiroteio com morte: Arnon de Mello, avô do ex-presidente Collor, matou o senador José Kairala a tiros – na verdade, sem querer, já que mirava em outro colega de plenário.


Related Posts

Ratinho terá maioria na Assembleia, mas folga não será muito grande

Compartilhe

CompartilheOs articuladores políticos de Ratinho Jr. (PSD) acham que a nova gestão não vai ter maiores problemas para construir maioria na Assembleia Legislativa. Segundo os cálculos iniciais, a base do governo teria entre 35 e 38 deputados.

Francischini e Justus lutam para ver quem fica com comissão mais importante da Assembleia

Compartilhe

CompartilheDesde que caiu em desgraça com os Diários Secretos, Nelson Justus (DEM) vem tendo como prêmio de consolação a presidência da Comissão de Constituição e Justiça. A CCJ da Assembleia não chega a enfurecer a população e mantém o poder do deputado – nenhum projeto […]