“Yesterday” imagina o mundo sem os Beatles | Plural
29 ago 2019 - 23h29

“Yesterday” imagina o mundo sem os Beatles

Após um evento inexplicável, músico frustrado parece ser o único que conhece as músicas de John, Paul, George e Ringo; e ele decide usá-las

Às vezes, você não quer ver o filme sul-coreano que foi sensação em Cannes nem o clássico sueco em preto e branco. Você só quer entrar no cinema e esquecer do mundo por duas horas. Às vezes, você quer ver algo ingênuo e divertido, exatamente como “Yesterday”, uma das estreias desta semana nos cinemas.

O roteiro é de Richard Curtis, o homem que parece ter escrito todos os filmes ingleses que fizeram sucesso nos últimos 25 anos – começando com “Quatro casamentos e um funeral” (1994). No mundo imaginado por Curtis em “Yesterday”, a pior coisa que pode acontecer, o maior desastre, a tragédia impensável é: os Beatles nunca terem existido.

Uma coisa inexplicável acontece, o planeta inteiro sofre um blecaute e tudo fica escuro em toda parte por 12 segundos. Nesse intervalo, o músico frustrado Jack Malik (Himesh Patel) é atropelado por um ônibus. A energia elétrica volta e, a princípio, nada parece diferente. No hospital, Jack começa a perceber algo estranho: ninguém – a não ser ele – sabe quem são John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr. Ninguém – a não ser Jack – ouviu falar dos Beatles e de suas músicas.

Jack faz o que qualquer um de nós faria: recorre ao Google. Nada dos Beatles. Como diz o próprio Jack, esse fato o coloca numa situação extremamente difícil. E esse é o argumento do filme: numa realidade em que ninguém ouviu “Hey Jude” e “Let it be”, será que ele pode assumir o crédito pelas músicas do quarteto de Liverpool? Será que ele consegue fazer sucesso com elas?

“Yesterday” é um lembrete de como um filme pode ser original apesar do enredo água-com-açúcar e de como pode ser pop sem ter que falar de super-herói. Ele tem até uma surpresa linda mais para o fim da história. (Você vai se divertir mais se souber um pouquinho dos Beatles. Ajuda também saber quem é Ed Sheeran. Agora, se você é fã dos Beatles, pode ficar meio frustrado porque o filme usa só 17 músicas e nem todas são cantadas – algumas são apenas citadas. A julgar por uma reportagem do New York Times, foi dificílimo conseguir permissão para usar as composições. Difícil e caro. Segundo a Billboard, só as músicas teriam custado dez milhões de dólares para a produção. Só não foi mais caro porque quem interpreta as canções é o ator Himesh Patel. No fim, Ringo adorou o filme e Paul deu sua bênção.)

Na verdade, não tinha como dar errado. A ideia é legal. O roteirista, idem. O diretor é Danny Boyle (de “Quem quer ser um milionário”) e a trilha sonora até que não é ruim (isso foi uma piada).

“Yesterday” é escapismo por excelência. E tudo bem.

Serviço

“Yesterday” é uma das estreias desta semana nos cinemas. Confira a programação de sua sala de exibição favorita.

Últimas Notícias