Universidades voltam às aulas presenciais em Curitiba | Jornal Plural
3 set 2020 - 19h22

Universidades voltam às aulas presenciais em Curitiba

Cursos de Saúde foram os primeiros mas alunos estão inseguros com a situação “caótica”, “não muito diferente do que era antes”

No dia 1º de setembro, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) retomou as atividades práticas e estágios da Escola de Medicina e da Escola de Ciências da Vida, em Curitiba. Na Universidade Positivo (UP), também na Capital, voltaram às aulas presenciais, ainda em agosto, 500 alunos dos cursos de Medicina, Odontologia e Pós-Graduação. As instituições afirmam cumprir todos os protocolos de proteção aos estudantes, mas muitos ainda se sentem inseguros com os riscos de contaminação pela Covid-19, em um ambiente que descrevem como “caótico”.

O Plural já havia mostrado que a decisão de retomada não foi amplamente bem aceita pelos alunos da PUCPR. Muitos se sentiram coagidos a voltar e seguem desconfortáveis com a decisão, especialmente pelo fato da universidade ter exigido que assinassem um “Termo de Ciência e Responsabilidade”, no qual a instituição se exime de “qualquer responsabilidade em razão de possível exposição ao coronavírus”.

Em off, uma estudante do curso de Medicina disse à reportagem que se sente insegura. Segundo ela, no primeiro dia, a PUCPR distribuiu um kit com 15 máscaras descartáveis e um face shield (máscara de face) para cada aluno. “Teve medição de temperatura na entrada do bloco, porém, começou mais ou menos às 7h40 e já tinha no mínimo umas 30/40 pessoas na fila, sem distanciamento nenhum.”

Os cursos que voltaram às aulas presenciais na PUCPR foram: Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Clínica Veterinária. “Dentro das salas dos laboratórios eles até tentam fazer o pessoal ficar mais afastado na questão de cadeiras, porém é inviável, né? As pessoas conversam, andam juntas em grupinhos, nada muito diferente do que era antes”, descreve a aluna.

A universidade afirma que fez um “mapeamento de riscos” e “variadas adequações estruturais – como instalação de dispensers de álcool gel em todo o entorno de onde vão ocorrer as atividades presenciais, reforço na desinfecção de ambientes, demarcação de piso com distanciamento de 1,5 metros nas áreas comuns, restrição do número de pessoas por ambiente, entre outras” para garantir a segurança de discentes e funcionários.

“Também foram adquiridos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para a utilização durante as atividades. Além disso, o uso de máscara facial será exigido em todos os ambientes, e a triagem presencial (com aferição de temperatura) será realizada para todos os que retornarem ao campus”, diz a PUCPR, em nota.

Segundo a instituição, o retorno às atividades práticas durante a situação de pandemia é totalmente facultativo. “Aos estudantes pertencentes ao grupo de risco e àqueles que optarem por não retomar as atividades práticas neste momento, serão asseguradas novas oportunidades para a realização da reposição, não havendo qualquer prejuízo de ordem acadêmica ou financeira.”

“Caótico”

O Centro Acadêmico Zilda Arns afirma que as aulas práticas do curso de Medicina da Universidade Positivo (UP) estão acontecendo presencialmente desde o começo de agosto, enquanto as teóricas seguem on-line. “Aulas que duravam duas horas estão durando 20 ou 30 minutos, ou seja, nem a metade do tempo habitual.”

Outra dificuldade relatada pelos alunos é que o Internato de Saúde da Família ocorre nas Unidades Básicas de Saúde, onde eles têm contato direto com a população, mas nem todas as medidas de segurança vêm sendo tomadas. “Esses dias, chegando lá, o pessoal viu que não tinha equipamento de proteção para todo mundo. Agora os alunos têm levado de casa o que eles compram ou possuem. Está bem caótico.”

A Universidade Positivo diz que retomou, de forma gradual, algumas atividades presenciais dos cursos que exigem prática em laboratórios, clínicas, hospitais, redes básicas de saúde e instituições sociais. “Ao todo, cerca de 500 alunos dos cursos de Medicina e Odontologia e da Pós-Graduação retornaram”. Segundo a assessoria, não há previsão de volta de outros cursos.

Foto: Universidade Positivo

A UP também afirma que as aulas presenciais são facultativas e poderão ser repostas em outro momento. “Medidas preventivas e procedimentos especiais de limpeza estão sendo adotados e todos os protocolos de saúde estão sendo seguidos. A universidade também divulgou para os alunos um manual de prevenção no ambiente acadêmico para que todos adotem as medidas de saúde, higiene e segurança recomendadas.”

Segundo a UP, “a dimensão e a gravidade da pandemia do coronavírus e as medidas de isolamento social impuseram prejuízos pesados de ordem pessoal, psicológica, profissional e financeira a todos” e “o objetivo agora é retomar gradualmente, com todos os cuidados necessários, e trabalhar para recuperar as atividades e retornar à normalidade.”

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias