18 jan 2022 - 19h50

Temporal volta a causar transtornos em Curitiba

Foram registradas quedas de árvores, alagamentos e falta de energia em algumas regiões da cidade

As chuvas fortes que atingiram a capital paranaense nesta terça-feira (18), causaram transtornos em várias regiões da cidade. Foram registrados alagamentos, quedas de árvore e falta de energia. Servidores municipais voltaram a prestar atendimento de emergência para os moradores nos pontos mais críticos. Um boletim emitido pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil aponta que a região norte da capital foi a mais afetada pela chuva. Não houve registro de feridos nem de pessoas que precisaram abandonar suas casas, como ocorreu após as chuvas fortes de sábado (15).

Com rajadas de vento de até 41 km/h e precipitação acumulada de 51,4 mm em duas horas, a chuva provocou quedas de árvores e de galhos grandes, pontos de alagamento e necessidade de fornecimento emergencial de lona para residências. Ao todo, foram 32 solicitações para corte emergencial de árvores. No Alto da XV, uma árvore caiu sobre dois veículos próximo a rua Sete de Abril.

Um deles precisou de apoio do Corpo de Bombeiros para a retirada dos ocupantes do automóvel (sem lesões). No local, agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) e guardas do Grupo de Trânsito da GM (GTran) orientaram os motoristas durante os trabalhos de corte e retirada dos entulhos da via pública.

Falta de energia

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que, no auge das chuvas, cerca de 16.949 consumidores ficaram sem energia na tarde de terça em Curitiba. Segundo a empresa, os desligamentos foram causados, principalmente, por raios e por galhos lançados à rede pelo vento forte.

Limpeza e auxílio

Foto: SMCS.

A Limpeza Pública do Município fez o recolhimento, na manhã desta terça-feira, de entulhos deixados pelas chuvas do fim de semana nos bairros Parolin e Guaíra. Em todas as regionais, as equipes da Fundação de Ação Social (FAS) estão fazendo busca ativa para identificar as demandas da população, além de atendimento com itens emergenciais como kits de higiene, cestas básicas, cobertores, colchões e outros itens.

Já a Defesa Civil informou sobre quatro fornecimentos de lona, nos bairros Campo Comprido, Tatuquara  e Santa Cândida, e quatro principais pontos com alagamento, no Cabral, no Tatuquara e no Xaxim.

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Curitiba continua monitorando as situações e possibilidades de novas chuvas para eventual intervenção e acionamento dos órgãos competentes.

Central 156

O cidadão que precisar comunicar a prefeitura sobre estragos provocados pelo vendaval deve utilizar o telefone 156 da Central de Atendimento ao Cidadão, pelo site (www.central156.org.br) ou pelo aplicativo do serviço. O atendimento é feito por ordem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada.

A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 (alagamentos) e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão, que registra as solicitações para retiradas de árvore) e pelo 153 (Centro de Operações da Guarda Municipal – fornecimento de lona).

Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193 – resgate) e pela Copel (falta de luz).

Por Jully Ana Mendes sob orientação de Ricardo Marques de Medeiros

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Um comentário sobre “Temporal volta a causar transtornos em Curitiba

Deixe um comentário

Últimas Notícias

Bolsonaro não concluiu 84% das obras da transposição do Rio São Francisco, como alega vídeo

É enganosa a afirmação de que Jair Bolsonaro (PL) entregou 84% das obras da Transposição do rio São Francisco. Apesar do presidente ter retomado 222 km que haviam sido retirados do projeto original por administração anterior, a execução da obra atravessou outras três gestões federais que, juntas, entregaram mais de 90% da infraestrutura do empreendimento, considerando a extensão inicial – de 477 km

Projeto Comprova

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds