SJP e Piraquara suspendem segunda dose por tempo indeterminado | Jornal Plural
28 abr 2021 - 21h12

SJP e Piraquara suspendem segunda dose por tempo indeterminado

Suspensão aconteceu devido à indisponibilidade da Coronavac, Governo anuncia nova remessa

Desde essa terça-feira (26), os grupos prioritários que procuram os postos de vacinação para a aplicação da segunda dose da Coronavac, na cidade de São José dos Pinhais e Piraquara, são surpreendidos com uma notícia: a vacinação está suspensa.

A secretária da saúde de São José dos Pinhais informou, por meio de vídeo nas redes sociais, que no momento o órgão está aguardando a distribuição de novos lotes de vacina. “Se você já tomou a primeira dose, fique tranquilo, não existe uma data exata para a segunda. Sendo assim, a sua imunização continua valendo”, destaca a secretária.

No entanto, de acordo com nota da Secretaria do Estado da Saúde do Paraná enviada ao Plural, “os municípios devem seguir a recomendação do Ministério da Saúde e utilizar o quantitativo enviado para a primeira dose na aplicação da D1, e o quantitativo discriminado para a segunda dose na aplicação da D2”. Ou seja, as doses da Coronavac já deveriam estar garantidas para aqueles que se vacinaram em São José dos Pinhais e Piraquara.

Ainda nesta terça, o governo do estado anunciou a chegada de uma nova remessa de vacinas que deve começar a ser distribuída para os municípios.

Riscos

Segundo o professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da UFPR Emanuel Maltempi de Souza, ainda não existe nenhum estudo que discorre sobre a efetividade da aplicação da segunda dose da Coronavac após longos períodos.

“Toda a informação publicada sobre a Coronavac fala sobre 14 a 28 dias, dentro desse intervalo de tempo existe uma faixa de alguns dias a mais, e daí surge a informação de que até 35 dias ainda estaria dentro do prazo seguro para a aplicação da segunda dose”, afirma o professor. “Eu acho que seria mais prudente manter a vacinação dentro desses 35 dias, já que só temos informação até esse período.”

De acordo com a fala do especialista, os municípios de São José dos Pinhais e Piraquara possuem cerca de uma semana para realizarem a aplicação das vacinas faltantes. A Secretaria de Saúde do Paraná informou que o estado tem expectativa de receber mais uma remessa de vacinas ainda essa semana, mas não há definição sobre data e número de doses.

Emanuel Maltempi alerta ainda para o atraso na imunização efetiva desses grupos sem vacinação. “A primeira dose prepara o sistema imune para que ele fique alerta ao material estranho que entrou. A segunda permite que o corpo reconheça o mesmo agente estranho e, só então, produz a resposta imune”.

“Nesse caso, quanto mais tempo demora para chegar a segunda dose, mais tempo demora para chegar a proteção”, alerta o especialista.

Ansiedade

Os indivíduos que compõem os grupos prioritários já esperam pela dose há 25 dias em São José dos Pinhais. A notícia da suspensão da aplicação da Coronavac prolonga o sentimento de insegurança e o risco que correm diariamente.

“Compreendo as dificuldades da disponibilidade das vacinas, mas não considero correto iniciar a vacinação sem a garantia da segunda dose”, conta a moradora de São José dos Pinhais, ouvida anonimamente pela Plural.

Ainda ontem, a mulher de 67 anos, se deslocou até o Ginásio Ney Braga para receber a sua segunda dose da vacina. Mas ao chegar no local, se deparou com a triste notícia. “Me senti preocupada e aborrecida pela falta de vacina, até porque a informação que me passaram era que não havia previsão de retomada da vacinação”, conta a idosa.

Contudo, ao ser comunicada do adiamento, resolveu tentar a vacinação no município vizinho, em Curitiba. “Para não perder o prazo fui a Curitiba, em uma Unidade de Vacinação, expliquei a situação e fui vacinada através da reserva de contingência”, comenta. 

A Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba (SMS) declarou ao Plural que, desde o início da campanha, é uma exigência a apresentação de comprovante de residência com endereço válido em Curitiba ou cadastro em alguma unidade de saúde da cidade. Devido à limitação de doses a orientação para as equipes é que sejam imunizados apenas os residentes em Curitiba. A imunização de alguém de fora do município seria um fato isolado que será apurado.

Saiba como anda a vacinação

Somente São José dos Pinhais e Piraquara apresentam a suspensão da aplicação da segunda dose de vacina contra Covid-19, devido à indisponibilidade da Coronavac. Pinhais também está com a vacinação suspensa, porém a Secretaria de Saúde afirma que é apenas parte do calendário, os moradores poderão se vacinar a partir de amanhã.

Araucária, Colombo, Campo Largo, Almirante Tamandaré, Fazenda Rio Grande, Campina Grande do Sul e Quatro Barras estão realizando a imunização normalmente, com aplicação de 1ª e 2ª dose aos grupos prioritários. O município de Campo Magro informou que não possui vacinas suficientes para abrir uma nova faixa etária, mas a aplicação da segunda dose segue normalmente.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias