Servidores ficam na Alep à espera de Ratinho | Plural
9 jul 2019 - 17h59

Servidores ficam na Alep à espera de Ratinho

Servidores públicos em greve que ocuparam a Assembleia Legislativa do Paraná nesta terça-feira vão permanecer no local até que o governador Ratinho Jr. se disponha…

Servidores públicos em greve que ocuparam a Assembleia Legislativa do Paraná nesta terça-feira vão permanecer no local até que o governador Ratinho Jr. se disponha a negociar com o grupo. Parados duas semanas, os grevistas reivindicam que o governo pague 50% da data-base este ano, retirar da Assembleia o Projeto de Lei Complementar 04 e não condicionar a data-base dos anos posteriores.

A ocupação da Assembleia aconteceu por volta das 16 horas depois que, segundo Marlei Fernandes, do Fórum das Entidades Sindicais, o deputado Missionário Arruda (PSL) chamou os servidores de vagabundos. “Nós exigimos respeito. Não pode uma situação dessas”, declarou.

Marlei também informou que o plano é continuar no local até que “exista uma intermediação de um debate no Palácio”. No período da manhã as entidades sindicais estiveram em reunião na Assembleia e pediram que eles atuem na negociação para o fim da paralisação.

 

Assuntos:

Últimas Notícias

Por que manejo de araucárias não é conservação?

Associar a conservação dos últimos fragmentos de florestas com araucárias do Brasil ao seu corte é ridículo. Fala-se em “manejo” quando existe suficiente população, vegetal ou animal, a ponto de, artificialmente e quase sempre em substituição aos mecanismos de controle naturais, garantir à sua própria existência ou a existência de outras formas de vida existentes no mesmo ecossistema

Aristides Athayde