Restaurantes e bares são essenciais e não vão fechar, diz Abrasel | Jornal Plural
Clube Kotter
6 maio 2020 - 9h59

Restaurantes e bares são essenciais e não vão fechar, diz Abrasel

Entidade reforça que setor nunca foi impedido de funcionar e lança manual de conduta para empresários

Depois que o Ministério Público do Paraná entrou na Justiça pedindo o fechamento de comércios não essenciais, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) voltou a se manifestar a respeito. A entidade destaca que o setor é essencial e nunca foi proibido de funcionar nem aliviou as regras de higiene. Uma cartilha com orientações de conduta aos empresários foi lançada nesta segunda-feira (4).

“Nunca houve afrouxamento pois o decreto do governo estadual diz que bares e restaurantes são essenciais. O que houve foi um endurecimento das regras, com a restrição da Prefeitura de Curitiba aos buffets”, avalia Luciano Bartolomeu, diretor-executivo da Abrasel no Paraná. “Só este serviço não está permitido.”

O funcionamento dos famosos self service – no qual o cliente se serve sozinho em um buffet – foi proibido na Capital por meio da Resolução 01/2020 da Secretaria Municipal de Saúde, publicada em 16 de abril. No entanto, muita gente vem desrespeitando a norma, conforme verificou o Plural em uma volta pelo Centro da cidade.

Fiscalização parece não surtir efeito. Foto: Jessica Carvalho

Manual de Conduta

“Nós entendemos as restrições quanto a este serviço e o perigo que ele traz, então, em parceria com o Sebrae, desenvolvemos esta cartilha, como um manual de conduta segura para serviços de bares e restaurantes”, explica o diretor da Abrasel.

Os cuidados precisam ser observados desde o recebimento de mercadorias, passando pela higienização e pela conservação dos alimentos. “As máscaras também precisam ser trocadas a cada quatro horas e não se deve permitir que o cliente se sirva sozinho. Pratos feitos e petiscos, no estilo padaria, podem ser oferecidos. Mas sempre respeitando o distanciamento social.”

De acordo com a entidade, no Paraná são 50 mil negócios neste setor. Em Curitiba, são 12,4 mil. Destes, 40% são bares e lanchonetes e 60% são restaurantes. Dos restaurantes, 70% oferecia o buffet por quilo, ou livre. “Agora, precisará haver uma mudança no comportamento e no hábito dos paranaenses, e isso deve permanecer por muito tempo.”

Bartolomeu destaca que 80% dos empresários fecharam as portas temporariamente. O setor emprega cerca de 70 mil funcionários em Curitiba e 300 mil no Paraná.

A previsão é de que 25% dos bares e restaurantes paranaenses não voltem a abrir. “Com isso, deveremos ter cerca de 60 mil demissões em todo o Estado”, observa o diretor da Abrasel.

Bares

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fabia Aguayo, enfatiza que a ação do Ministério Público é contra comércios não essenciais. “Nosso setor está resguardado pelos decretos da Prefeitura e do Estado. Então, fiquem tranquilos que não seremos atingidos. Lutamos pela nossa sobrevivência e pelo fortalecimento da categoria”, diz ele, em vídeo.

Aguayo reforça que só podem funcionar bares que tenham serviço de cozinha – pois há muitos que só oferecem o serviço de bebidas e música. “Estes orientamos a não abrir pois podem ser avaliados como Casa Noturna. Dos permitidos, vários já voltaram a funcionar, seguindo os protocolos de saúde. Continuamos seguindo os padrões sanitários exigidos e estamos abrindo por etapas, gradativamente”, destaca o presidente da Abrabar.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Um comentário sobre “Restaurantes e bares são essenciais e não vão fechar, diz Abrasel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias