Região Metropolitana foi a mais atingida pelas chuvas | Jornal Plural
30 maio 2019 - 18h01

Região Metropolitana foi a mais atingida pelas chuvas

Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais registraram o maior número de ocorrências

Além dos estragos em 11 cidades do Paraná e na capital, onde os ventos chegaram a 80 km/h, as chuvas desta quinta-feira (30) trouxeram problemas especialmente a famílias da Região Metropolitana de Curitiba. Entre árvores caídas, postes sem energia e casas destelhadas, ou com telhados furados pelo granizo, a maior parte das ocorrências foi registrada nas cidades de Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais, onde choveu mais de 30 milímetros (até às 15h) e 9,5 mil casas ficaram sem luz. Apesar dos estragos, não houve feridos nem desabrigados. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros trabalham na distribuição de lonas e na arrecadação de donativos e cobertores.

O maior volume de chuva foi registrado pelo Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) em Colombo (44.4 mm), seguido de Fazenda Rio Grande (37 mm), SJP (30 mm) e de Curitiba (22.4 mm). Com relação a casas atingidas, foram 1,1 mil em Pinhais (principalmente nos bairros Weissópolis e Maria Antonieta), 800 em Piraquara (nos bairros Guarituba e Jardim dos Estados) e 600 em São José dos Pinhais (no Jardim Ipê, Borda do Campo, São Judas Tadeu e Guatupê). Algumas escolas também chegaram a ser atingidas mas as aulas não foram interrompidas. Rio Branco do Sul registrou 400 famílias atingidas e Colombo 350.

Em Curitiba, 150 foram os registros de destelhamentos e os bairros mais afetados Cajuru, Boqueirão, Boa Vista e Portão. Das escolas com problemas, a única que terá as aulas suspensas nesta sexta-feira (31) é a Escola Municipal Michel Khury, no bairro Uberaba.

Clima

“Estamos com um ambiente instável, de muita umidade, com bastante chuva ao sul do Paraná, uma situação que chamamos de pré-frontal, que vem antes da passagem da frente fria”, explica o meteorologista Samuel Braun, do Simepar.

Segundo ele, é uma situação que favorece as áreas de chuva, como ontem, em pontos de potencial queda de granizo, como Guarapuava (próximo da 0h) e Rio Branco do Sul (4h). Em Curitiba, a chuva forte chegou perto das 6h, provocando temporais. “Temos uma linha de chuva bem definida desde Rio Negro até São Mateus, que está deslocando para Curitiba, o que traz mais possibilidades de chuva forte para as próximas 48h”, alerta Braun.

Nesta sexta, a temperatura máxima não deve passar de 20°C e no sábado 17°C, ainda com chuva, mas sem temporais. Já no domingo, o frio aumenta. “De segunda (3) em diante, o tempo dá uma acalmada. Para a chuva mas a tendência é de temperaturas mínimas de 8°C e máximas de 15°C”, prevê o meteorologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias