Ratinho suspende reajuste de servidores estaduais | Jornal Plural
12 jan 2021 - 17h43

Ratinho suspende reajuste de servidores estaduais

Governo diz que orçamento 2021 não comporta gastos com pessoal

A promessa de campanha, e também feita para encerrar uma greve de 20 dias, em julho de 2019, não será cumprida pelo governador Ratinho Jr (PSD), que anunciou a “impossibilidade de implantação do reajuste do funcionalismo público” no Paraná.

O despacho governamental foi emitido em 8 de janeiro com a justificativa de que não é possível afetar o equilíbrio das contas públicas com a revisão salarial dos servidores.

Segundo Ratinho, “o orçamento previsto para o exercício de 2021 não comporta a totalidade dos gastos com pessoal, o que corresponde a aproximadamente R$ 1,3 bilhão, tampouco despesas com progressões e promoções, que representam cerca de R$ 350 milhões e revisão geral anual dos servidores do Poder Executivo, em torno de R$ 237 milhões”.

Em nota, o governo informou que “a suspensão de reajustes tem como objetivo atender às exigências do Governo Federal, no que se refere ao repasse de recursos durante a pandemia. Sobre as exonerações, são reformulações já previstas no plano de reestruturação do Governo do Estado”.

Diante da insatisfação de sindicatos e de 265 mil servidores estaduais, o governo lembra que o congelamento de reajustes já havia sido anunciado pelo governo de Bolsonaro (sem partido) durante o repasse emergencial aos Estados, para atendimento à pandemia.

A promessa

A garantia de que haveria reajuste foi apresentada por Ratinho para encerrar uma greve de 20 dias, em julho de 2019, que envolveu grande parte dos servidores estaduais.

Assembleia dos servidores em 2019 foi em frente ao Palácio Iguaçu. Foto: APP-Sindicato

A promessa era pagar 5% de reajuste, sendo 2% em 2020, 1,5% em janeiro de 2021 e 1,5% em janeiro de 2022. Além disso, a proposta do governador garantia pagamento de promoções e progressões, realização de concursos públicos, o que também não aconteceu.

“A retórica de Ratinho Jr muda de acordo com as conveniências. Quando se trata de beneficiar o setor do agronegócio, latifundiários, industriais e os super ricos, concede isenções fiscais de quase R$ 12 bilhões por ano, cerca de dez vezes mais do que o necessário para honrar os compromissos com as servidoras e servidores”, afirma o economista e assessor do Fórum das Entidades Sindicais do Paraná (FES), Cid Cordeiro.

Segundo ele, ao contrário do que o governador alega, a pandemia não trouxe prejuízos ao Estado. “Mesmo na Agência Estadual de Notícias, encontramos material feito pelo próprio governo mostrando que a intensificação do teletrabalho durante a pandemia gerou economia de R$ R$ 47 milhões aos cofres públicos estaduais.”

O FES destaca ainda o anúncio de R$ 10 bilhões em investimentos no Paraná. “Segundo o secretário René Garcia (Fazenda), isso foi possível graças a ‘um amplo trabalho de redução de gastos, do rígido controle das contas públicas’. Ou seja, corta do funcionalismo para servir a outros setores”, diz a entidade.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Ratinho suspende reajuste de servidores estaduais

  1. E esse reajuste na verdade pra ser correto, hoje deveria ser de +- 20%, pois é referente a 8 anos sem reajuste da inflação, nem é aumento real. Mas fazer o que se ele é da mesma laia do presidente, e ambos mentirosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias