9 jun 2020 - 21h10

Paraná vai endurecer medidas no combate ao coronavírus

Estratégia diferente será apresentada pela Secretaria Estadual de Saúde nos próximos dias. Mudanças vêm após críticas do MP e flagrantes de aglomerações

O Ministério Público do Paraná mandou o governo do Estado rever a flexibilização do isolamento social e a lista de serviços essenciais liberados para reabrir. Em resposta, nesta terça-feira (9), a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) informou que irá divulgar, nos próximos dias, medidas mais rígidas para conter o avanço do coronavírus no Estado, onde os números vêm subindo rapidamente.

A curva ascendente coincide com a volta do comércio não essencial, como shoppings, academias e igrejas, que até foram consideradas essenciais pelos deputados. Neste fim de semana, parques, praças e bares estavam lotados de pessoas aglomeradas e sem máscaras, especialmente em Curitiba. Vários vídeos com os flagrantes foram publicados em redes sociais.

“A preocupação do MP também é a nossa, de todo o governo. Estamos numa curva ascendente de casos e é necessário trabalhar para reduzir o número de casos e óbitos”, diz o secretário estadual de Saúde, Beto Preto. “Estávamos numa situação equilibrada, ainda é em relação ao restante do Brasil, mas não podemos descuidar.”

Ele afirma que há mais de 50% dos leitos de UTI à disposição no Paraná. “Em algumas regiões pode faltar um ou outro leito mas, de modo geral, temos a oferta da metade dos leitos contratados no enfrentamento ao coronavírus”, garante.

Segundo ele, novas medidas de enfrentamento à pandemia serão divulgadas nos próximos dias. “Mais tardar na próxima semana, deveremos ter uma estratégia diferente perante o crescimento do número de casos de covid no Paraná. É importante registrar que tivemos um aumento no número de testagem. Teremos que traçar uma nova estratégia, mas estamos preparados pra seguir este novo caminho.”

O Paraná registrou hoje 287 novos casos da covid-19 e dez óbitos em 24h. O número total de infectados no Estado é de 7.314 e 253 mortes. Em Curitiba, são 1.399 contaminados pelo vírus e 63 mortos pela doença até agora.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

Comparação entre aumento da gasolina e patrimônio da família Bolsonaro usa dados imprecisos

É enganosa a comparação feita em uma postagem com percentuais sobre reajuste da gasolina no Brasil e crescimento patrimonial da família Bolsonaro. O índice do aumento do combustível não se refere a um ano, como indicado. O valor de aumento de gasolina se refere a um período de três anos, enquanto a evolução de patrimônio ocorreu em período de 12 anos para Jair e Flávio e quatro anos para Eduardo

Projeto Comprova

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds