Onde estão os internados pela Covid-19 em Curitiba? | Plural
8 abr 2020 - 16h20

Onde estão os internados pela Covid-19 em Curitiba?

Secretaria Municipal de Saúde não diz onde pacientes estão sendo tratados

A Prefeitura de Curitiba divulga boletim diário sobre casos suspeitos e confirmados do coronavírus. Até esta quarta-feira (7), são 228 pessoas contaminadas no Município, havendo cinco mortes pela doença. Estes dados, porém, não mostram em quais hospitais estão sendo tratados os pacientes graves, que precisam de internamento ou UTI. O Plural tentou levantar esta informação diretamente com as instituições, mas raros foram os que repassaram dados.

A maioria confirma que há um boletim interno, diário, sobre os casos suspeitos e confirmados. Eles, no entanto, são encaminhados para um público específico, geralmente gestores e médicos. Os demais funcionários não têm acesso. A justificativa é de que os números são todos repassados à Secretaria Municipal de Saúde, que faz sua centralização e divulgação.

Segundo a Prefeitura, não há nenhuma determinação ou proibição para que os hospitais particulares não repassem esses dados. Porém, a Secretaria de Saúde também não os informa detalhadamente. O único dado disponível é o número total de leitos na Capital.

Hoje, Curitiba possui 5.707 leitos, incluindo os do Sistema Único de Saúde (SUS) e os particulares. Deste total, 931 são destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dos quais, 165 são exclusivos para Covid-19.

Na Rede Pública, os doentes graves contaminados pelo coronavírus estão espalhados pelos hospitais públicos próprios e pelos hospitais filantrópicos que integram a rede SUS de Curitiba.

Dos particulares, os hospitais Pequeno Príncipe e Marcelino Champagnat – depois de publicados, pelo Plural, casos de funcionários contaminados – divulgaram notas. No Pequeno Príncipe, são 12 funcionários e dois pacientes (crianças) infectados pelo coronavírus. No Marcelino Champagnat, são 20 pacientes contaminados; destes, 14 são profissionais da saúde.

Dos outros hospitais procurados pelo Plural, Cajuru, Erasto Gaertner, Santa Casa, Nossa Saúde e Angelina Caron (localizado na Região Metropolitana de Curitiba – RMC) responderam que, até o momento, não foi confirmado nenhum caso da doença entre seus pacientes ou funcionários.

O Hospital Evangélico Mackenzie foi o único que confirmou três internados com Covid-19 e outros 15 internados em investigação. Um óbito também está sendo investigado.

Os hospitais do Trabalhador (HT), de Clínicas (HC), Nossa Senhora das Graças (HNSG), Santa Cruz, Vita, Ônix e São José (também na RMC) não repassaram informações sobre números de pacientes e profissionais suspeitos ou confirmados para Covid-19.

Entidades representativas

As diretorias da Associação dos Hospitais do Paraná (Ahopar), Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Paraná (Sindipar), Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no do Paraná (Fehospar) e Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Beneficentes do Estado do Paraná (Femipa) informaram que estão reportando às secretarias de Saúde, estadual e municipais, os números de casos de Covid-19 por eles investigados, descartados e atendidos.

Segundo as entidades representativas, os hospitais têm feito investimentos para garantir fluxos seguros e estabelecido protocolos com base nas normativas dos governos, seguindo critérios científicos. Também têm empenhado todos os esforços financeiros, estruturais e de pessoal para oferecer atendimento seguro e de qualidade para a população e seus colaboradores.

Elas ressaltam, ainda, que em meio à crise da pandemia enfrentam desabastecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), afastamentos de profissionais – em situação de risco ou sob qualquer suspeita da doença -, além da queda significativa de receita, no caso dos hospitais privados. 

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias