Mudança no Ensino Infantil pode deixar crianças fora do período integral | Plural
9 out 2019 - 21h07

Mudança no Ensino Infantil pode deixar crianças fora do período integral

Medida pode afetar 1,3 mil crianças; prefeitura diz que número só poderá ser confirmado após o dia 25 deste mês

Cerca de 1,3 mil crianças de 4 a 5 anos que hoje são atendidas das 7h30 às 18 horas nas creches conveniadas da prefeitura de Curitiba podem ter que ser transferidas para vagas de meio período, apurou o Plural. A mudança é decorrente da nova forma de contratação de instituições conveniadas no Ensino Infantil, que a prefeitura apresentou esta semana para as escolas.

Atualmente, as unidades contratadas atendem dez mil crianças, das quais 4,2 mil tem 4 e 5 anos, todas em período integral. Já as unidades municipais atendem hoje a mesma faixa etária, mas 31,1% são meio período e 68,9% período integral. Mantida a proporção, 1,3 mil crianças que hoje estão no integral acabarão matriculadas no atendimento em meio período.

A Secretaria Municipal de Educação diz que só vai poder dizer quantas das crianças transferidas vão para o meio período depois da divulgação do resultado do cadastramento, que deve acontecer entre 15 e 25 de outubro.

Segundo a prefeitura, o novo sistema amplia o número de vagas de 0 a 3 anos em 6,4 mil vagas. E transfere integralmente o atendimento a partir de 4 anos para a rede municipal. Também abre a possibilidade de qualquer escola de educação infantil ofertar vagas dentro da rede municipal.

Mas o sistema deixou apreensivas as escolas comunitárias, que alegam que o valor pago pela prefeitura não cobre os custos e as novas regras não permitem cobranças extras dos pais. Também deixa com elas o atendimento de crianças de 0 a 3 anos, cujo custo é maior.

A mudança foi apresentada esta semana para escolas conveniadas e escolas particulares. A Associação de Creches Comunitárias de Curitiba teme que a mudança possa resultar na demissão de 30% a 40% das equipes das unidades.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias