Moradores acusam PM de executar jovens; polícia diz que houve confronto | Plural
28 set 2019 - 22h22

Moradores acusam PM de executar jovens; polícia diz que houve confronto

Quatro ocupantes de um carro furtado foram mortos pela PM na noite de sexta; protesto no Parolin foi duramente reprimido pela Polícia Militar

A Polícia Militar entrou reprimiu na noite deste sábado um protesto de moradores do Parolin, em Curitiba. Os manifestantes cobravam explicações pela morte de quatro pessoas num suposto confronto com a PM. Segundo a versão deles, a polícia mentiu ao dizer que houve reação à abordagem policial – os moradores acusam os policiais de ter executado os garotos.

O caso ocorreu na noite de sexta-feira. A PM abordou um Tucson roubado, mas os ocupantes fugiram em alta velocidade. A perseguição terminou com o carro tombando e os quatro ocupantes mortos pela PM. Os policiais dizem ter atirado em legítima defesa, já que na versão deles os ocupantes do carro atiraram primeiro.

Em entrevista dada na noite deste sábado, durante o protesto, moradores dizem que o carro já tinha sido roubado quatro dias antes e estava abandonado. OS garotos encontraram a Tucson e decidiram dar uma volta. Mas, segundo a família, nenhum deles andava armado nem sabia atirar.

Uma parente de dois dos meninos mortos diz haver vídeos que mostram a execução de um garoto de 14 anos e outro de 16. Ambos estariam se ajoelhando para se entregar, segundo os moradores do Parolin.

O protesto, que teve pneus queimados, terminou com repressão da PM. Os moradores, alvos de bombas de efeito moral e armamento não-letal, dizem que vão cobrar justiça pelas mortes e acusam a polícia de covardia.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias