Ministério detalha comorbidades que terão prioridade na vacina | Jornal Plural
24 jan 2021 - 10h36

Ministério detalha comorbidades que terão prioridade na vacina

Governo detalhou os critérios para que portadores de 21 condições médicas possam ter prioridade na vacinação

O Ministério da Saúde republicou no último dia 22 o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19. O novo documento contém o detalhamento das comorbidades que terão direito a prioridade nas primeiras fases de vacinação. A definição deverá ser adotada pelo Governo do Paraná e a Prefeitura de Curitiba.

O Ministério estima que pelo menos 17,8 milhões de brasileiros se encaixam nos critérios estabelecidos e precisam ser vacinados com prioridade. Pessoas com mais de 60 anos já estão entre os grupos prioritários, mesmo sem comorbidade (mas aqueles que estão na lista pelo critério da idade e também possuem condição médica listada pelo ministério serão vacinados antes).

Além de pessoas com comorbidades, o plano de vacinação também estabelece prioridade para profissionais de saúde, da educação, da segurança, indígenas, pessoas com deficiência, população de rua, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional, trabalhadores do setor de transportes, portuários e industriais.

A fase em que cada grupo deverá ser vacinado será detalhada nos planos municipais.

Grupos prioritários | comorbidades

  1. Diabetes melitus – qualquer indivíduo com a doença
  2. Pneumopatias crônicas graves – Indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).
  3. Hipertensão Arterial Resistente (HAR) – HAR = Quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-­‐hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-­‐ hipertensivos.
  4. Hipertensão Arterial Estágio 3 – PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-­‐alvo (LOA) ou comorbidade
  5. Hipertensão Arterial Estágios 1 e 2 com LOA e/ou comorbidade – PA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-­‐alvo (LOA) e/ou comorbidade
  6. Insuficiência cardíaca (IC) – IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association
  7. Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar – Cor-­‐pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária
  8. Cardiopatia – Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-­‐alvo)
  9. Síndromes coronarianas – Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras)
  10. Valvopatias – Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras)
  11. Miocardiopatias e pericardiopatias – Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática
  12. Doenças da aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas – Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos
  13. Arritmias cardíacas – Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras)
  14. Cardiopatias congênita no adulto – Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico.
  15. Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados – Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-­‐passos, cardiodesfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência) Doença cerebrovascular Acidente vascular cerebral isquêmico
  16. Doença cerebrovascular – Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular
  17. Doença renal crônica – Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e síndrome nefrótica.
  18. imunossuprimidos – Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV e CD4 <350 células/mm3; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais individuos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias.
  19. Anemia falciforme
  20. Obesidade mórbida – Índice de massa corpórea (IMC) >=40
  21. Síndrome de Down – Trissomia do cromosso 21
Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

20 comentários sobre “Ministério detalha comorbidades que terão prioridade na vacina

    1. Se você em Curitiba, os adultos com menos de 60 anos e comorbidades estão na 4 fase de vacinação. No entanto, é preciso que sua doença esteja dentro dos parâmetros descritos na resolução do ministério da Saúde e que você tenha laudo médico. Ainda não sabemos como a apresentação desses laudos será feita.

  1. Olá!
    Saberia me dizer se CIV (Comunicação Intra Ventricular) entra nas Cardiopatias Congenitas em Adultos?
    E pra comprovar será que poderei usar um exame médico ou precisarei ir até o meu médico pegar atestado?

    1. Mariana, o que está no Plano Nacional é o que está na matéria. Sobre como será a comprovação, isso será definido pela prefeitura da sua cidade. Em Curitiba, como a vacinação ainda está no grupo 1 essa operacionalização ainda não foi definida.

  2. Bom dia tomo remedio para pressao todos os dia e ate agora nao fui vacinado tenho 64 anos e a prefeitura de congonhas mg nao quer me vacinar porque eu nao sou do grupo de risco.aqonde devo recorer.Obrigado

  3. Sou hipertensa por questões emocionais e tenho 47 anos. Tenho direito a ser vacinada nessa fase? Renite alérgica e pré diabética. Inclusive estou em casa desde o início da pandemia, pois tenho dificuldade grande de fazer uso da máscara devido a tontura e sensação de desmaio. Porém sou aposentada já! Fiz vários quadros de cianose tratados com eco sanguíneo transfusão em 2003 a 2006

  4. Quem tem neuralgia dos trigêmeos faz uso de tegretol de 200mg por dia pode tomar vacina no grupo de comorbidade
    Aguardo resposta

    1. Oi Elivania, a lista acima é de todas as comorbidades listadas pelo Ministério da Saúde. Se a sua não está, é porque não será contemplada. Mas como a vacinação é operacionalizada pelos municípios, pode ser que na sua cidade o seu caso seja atendido.

  5. Tenho uma dúvida tive aneurisma,tenho
    clipes na cabeça,Mas as minhas artérias são doentes….faço exames uma vez por ano acompanhamento,porque tenho risco de ter outros
    Grata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias