HC garante que não será prejudicado com greve nem demissões | Plural
13 nov 2019 - 23h39

HC garante que não será prejudicado com greve nem demissões

Hospital assegura já ter funcionários para substituir os 523 que serão demitidos até o fim do ano. Greve entra no quarto dia

Com a greve dos funcionários da Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar), que atuam no Hospital de Clínicas (HC) de Curitiba, a entidade emitiu nova nota, nesta quarta-feira (13), terceiro dia de paralisação da categoria. O protesto é contra as 523 demissões que devem ocorrer até o fim do ano. O HC, no entanto, garante que nenhuma atividade foi interrompida pela greve nem será. O governo federal já teria enviado novos funcionários para repor o quadro e os setores continuam a funcionar normalmente nesta semana.

Não é o que afirma o Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior no Paraná (Sinditest-PR), que contabiliza 35 setores afetados pela paralisação. “A categoria continua mobilizada, com adesão cada dia maior. Hoje (13), foram 220 assinaturas na lista de presença”, informa o coordenador-geral do sindicato, Daniel Mittelbach.

Os desligamentos, que mobilizam a greve, já estão previstos desde 2014, após um acordo judicial entre o hospital e o Ministério Público do Trabalho. Na época, havia 922 funcionários da Funpar em atividade no HC. Destes, 399 já não compõem mais o quadro e outros 523 aguardam as demissões.

“Desde então a instituição recebeu 1,7 mil profissionais via Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) – empresa pública, vinculada ao Ministério da Educação (MEC)”, diz em nota o Hospital de Clínicas, que conta hoje com 4,5 mil funcionários.

“Apenas 2% dos trabalhadores estão paralisados. As atividades dos
setores continuam com profissionais dos vínculos Funpar
(aproximadamente 400 que não aderiram à greve), Ebserh, RJU (Regime Jurídico Único), UFPR e terceirizados.”

Terceirizados

Os serviços terceirizados são: nutrição, recepção, segurança, manutenção, transporte e limpeza. “Por força de Lei é obrigatória a terceirização de cargos extintos ou em extinção, uma vez que não podem ser repostos por meio de concurso público”, ressalta a nota.

Para o Sinditest, o atual dimensionamento do HC já desconsidera os 523 demitidos. “Em 2014, havia 2 mil servidores RJU e 970 da Funpar. Hoje, são 1,4 mil RJU e 1,7 Ebserh”, diz Daniel, afirmando que vários serviços realizados pelos trabalhadores Funpar já foram ou ainda serão terceirizados.

Concurso

O hospital lembra ainda que está aberto um concurso público para a contratação de 147 pessoas, nas áreas: médica, assistencial e administrativa. As inscrições vão até 10 de dezembro, pela internet. O custo das inscrições vai de R$80 a R$240.

O Hospital

O Hospital de Clínicas, em Curitiba, tem 261 consultórios e 643 leitos distribuídos em 59 especialidades. Nele, atuam docentes e residentes do curso de Medicina da UFPR. Todos os meses, são realizados, em média, 60 mil atendimentos, com um índice de 1,4 mil internações e 800 cirurgias. É o maior prestador de serviços do SUS (Sistema Único de Saúde) do estado do Paraná.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias