Em meio ao caos, reitor tenta salvar aulas, bolsas e vestibular da UFPR | Plural
3 jun 2019 - 8h00

Em meio ao caos, reitor tenta salvar aulas, bolsas e vestibular da UFPR

Em entrevista ao Plural, Ricardo Marcelo Fonseca fala sobre o caos nas universidades

Restaurantes universitários fechando em julho. Ônibus parando por falta de dinheiro. Insegurança em relação ao vestibular. E a perspectiva de ter pesquisas científicas paralisadas e a universidade sem dinheiro para contas básicas, como água e luz, já em agosto. A situação da Universidade Federal do Paraná (UFPR) é dramática.

Ainda assim, o reitor, Ricardo Marcelo Fonseca, prefere o olhar positivo. Não há como negar o caos que se apresenta, mas ele acredita que “algo terá de ser feito” e que as manifestações de rua, assim como a mobilização de diversas instituições em favor das universidades federais, vão dar resultado.

Em entrevista ao Plural, Ricardo Marcelo falou sobre a situação da UFPR em vários aspectos. Assista a alguns dos principais trechos.

Vídeos de Giorgia Prates. Edição de Fernando Cavazzotti.

Situação atual

Ricardo Marcelo diz que nem um centavo dos R$ 48, 3 milhões bloqueados pelo governo federal voltou à conta da universidade até agora. Ele prevê inúmeras dificuldades para os próximos meses.

Bolsas

Os impactos estudantis também serão sentidos em bolsas de graduação, extensão, iniciação-científica e assistenciais.

Vestibular

Ricardo Marcelo prefere não antecipar o problema e diz que a UFPR fará tudo o que puder para o corte de verbas não afetar o vestibular.

Particulares

Questionado se as universidades particulares saem ganhando com o caos nas públicas, o reitor diz ver espaço pra todas mas destaca a importância das federais e estaduais na pesquisa científica do país.

Gestão

Sobre críticas a gestões e reitores de universidades públicas, Ricardo reforça a exigência legal de transparência nos dados. “Se há um argumento contra uma falta de gestão competente é  necessário sair da generalidade e ir especificamente onde estão os problemas”, diz.

Eleição

Outro problema que o reitor prefere não antecipar é a possibilidade já aventada de o atual governo se negar a nomear reitores em função de posicionamento ideológico.

A faixa

Ricardo revela que ficou surpreso com o tom raivoso de alguns apoiadores do governo, que em Curitiba retiraram uma faixa de apoio à Educação do prédio histórico da UFPR.

Apoios

Segundo o reitor, o apoio de políticos e instituições, além da união da própria comunidade interna da UFPR, é um alento nesta hora.

Últimas Notícias