Curitiba suspende vacinação para autônomos da Saúde | Jornal Plural
5 fev 2021 - 17h03

Curitiba suspende vacinação para autônomos da Saúde

Só serão imunizados profissionais com registro ativo no CNES; critérios para aplicação serão reavaliados

O esquema de vacinação que contemplava profissionais da Saúde autônomos de Curitiba de maneira generalizada foi suspenso temporariamente. Segundo o Ministério Público do Paraná (MPPR) e o Ministério Público Federal (MPF), a pausa vai até que se encontrem critérios mais eficientes para filtrar os trabalhadores que realmente tenham direito à imunização neste momento.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), só seguirão sendo vacinados profissionais das 10 categorias da área que tiverem registro ativo no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) – plataforma do SUS que concentra detalhes de trabalhadores da categoria. Os que já foram agendados, mas não estiverem vinculados ao CNES, não receberão as doses.

A decisão foi tomada em reunião na manhã desta sexta-feira (5), convocada para tratar de brechas no Plano Municipal, que vinham permitindo a vacinação de quem não atuava diretamente em serviços da Saúde. Até agora, o único critério cobrado pela Prefeitura era o cadastro válido nos respectivos conselhos de classe – o que gerou debates, críticas e até manifestação do Ministério Público do Paraná, conforme mostrou o Plural.

Por este modelo, muitos profissionais com vínculo ativo em conselho, mas sem ter contato com pacientes ou sem atuar na linha de frente no combate ao coronavírus, estavam sendo vacinados.

Também participaram da reunião a SMS, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Ministério Público do Trabalho, as Defensorias Públicas do Paraná e da União.

Revisão de critérios

Em nota, o MPPR afirmou que a suspensão foi definida em comum acordo e que, por isso, não se trata do cumprimento de uma decisão liminar. A partir de agora, haverá uma revisão dos critérios que definem os grupos prioritários da classe de profissionais de Saúde.

Conforme o MPF, os novos parâmetros serão debatidos em encontro com a Sesa e com a SMS, na presença dos Conselhos Regionais de todos os profissionais de Saúde, na próxima semana.

No site, a Prefeitura publicou nota em que ressalta que o Plano Municipal de Vacinação está em consonância com as diretrizes do Plano Nacional de Imunização, o qual coloca na primeira fase os trabalhadores da Saúde com atuação em serviços da área.

“Seguindo todos os critérios do Plano de Vacinação, Curitiba trabalha para que a população seja atendida com a imunização contra a Covid-19, e que o avanço da campanha a todos os grupos depende das quantidades de doses enviadas pelo Ministério da Saúde”, acrescenta.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Curitiba suspende vacinação para autônomos da Saúde

  1. VACINA: Qdo fui chamada ( de um dia p outro), tinha acabado de chegar em outra cidade e uma das minhas filhas começou a passar muito mal ( 5 anos), sem condições de voltar c ela e sem ninguém c quem deixar. Remarquei vacinação. Agora essa palhaçada c CNES!!!! Vou fazer o cadastro, mas quero ver o dia q serei chamada…. os fura fila estão de boa… e nós ( mãe idosa e c câncer), q se dane p tirar o sustento a base do medo. Pq não precisa ser nenhum especialista p saber dos graves riscos de nossa profissão como cirurgiões dentistas!!!! INDIGNADA. Alexandra Dacol Fengler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias