Curitiba fica fora de avaliação nacional sobre Educação | Jornal Plural
Clube Kotter
1 jun 2020 - 10h54

Curitiba fica fora de avaliação nacional sobre Educação

Rede Municipal não cumpriu os critérios mínimos para integrar pesquisa sobre qualidade no Ensino Fundamental

Um estudo nacional sobre as melhores práticas no Ensino Fundamental destaca 22 cidades paranaenses, que levaram o selo ‘Bom Percurso’, do programa Educação que faz a diferença. O trabalho envolve os Tribunais de Contas brasileiros. Curitiba ficou fora da lista pois não cumpriu os critérios mínimos para a avaliação.

O Paraná foi o segundo estado com mais redes reconhecidas no estudo, atrás somente de São Paulo, com 32. Em destaque estão: Apucarana, Arapoti, Assis Chateaubriand, Astorga, Castro, Foz do Iguaçu, Jaguariaíva, Jandaia do Sul, Loanda, Mallet, Mandaguari, Marmeleiro, Medianeira, Paranavaí, Pato Branco, Rebouças, Rio Negro, Rolândia, Sengés, Terra Boa, Turvo e Ubiratã.

De acordo com o levantamento, as redes de ensino destas cidades garantem a aprendizagem e os avanços da maioria dos alunos; esforçam-se para reduzir as desigualdades e manter os jovens na escola e apresentam Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) acima do esperado.

Segundo o trabalho, elas contam com as seguintes boas práticas: utilização de sistemas de gestão e de acompanhamento dos estudantes; suporte constante das secretarias de Educação, com visitas frequentes às escolas; monitoramento contínuo da aprendizagem dos alunos; investimento na gestão escolar, com incentivo ao protagonismo das escolas; oferta constante e diversificada de formação continuada aos educadores; e cultura de observação de aulas, com devolutivas construtivas.

A pesquisa envolveu redes municipais, e não escolas, nos 26 Estados brasileiros. Eram elegíveis todas as redes municipais do País com pelo menos cinco escolas da mesma etapa, e no mínimo 150 alunos, independente do nível socioeconômico dos estudantes.

O objetivo é inspirar redes de ensino com resultados não tão satisfatórios a refletir sobre suas próprias práticas, munindo-as das informações necessárias para aperfeiçoá-las. “Curitiba, ao contrário dos 22 municípios referidos no texto, não chegou a atingir os critérios mínimos da avaliação”, informou o Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), que integrou a pesquisa, realizada em 116 escolas de 69 redes municipais do país.

Indicadores

Os dados do projeto ‘Educação que Faz a Diferença’ foram levantados em 2019. A iniciativa é coordenada pelo Instituto Rui Barbosa (IRB) – associação civil ligada aos Tribunais de Contas de todo Brasil – e pela entidade Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede).

Os indicadores analisados envolveram o nível de aprendizado dos estudantes em Língua Portuguesa e Matemática, conforme o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2017; o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) atual e sua evolução desde
2005; a taxa de aprovação de acordo com o Censo Escolar de 2018; a taxa de atendimento de crianças de até três anos; e o total de alunos por turma.

“Não basta o investimento de recursos, o treinamento de professores e a adoção de ações para motivar as famílias. Também precisamos de processos de gestão capazes de dar oportunidade, talvez a única, a milhões de brasileiros de mudar a sua realidade por meio da educação”, afirma o presidente do Comitê Técnico da Educação do IRB, Cezar Miola (TCE-RS). “O objetivo é apresentar iniciativas comuns que possam servir de inspiração para outras redes.”

Secretaria de Educação

Questionada pelo Plural, a Secretaria de Educação de Curitiba falou sobre cada um dos pontos analisados na pesquisa:

“1)    Ideb
Referência no ensino público municipal, Curitiba registrou crescimento no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o principal indicador da qualidade da educação no País. O último dado é de 2018.
O Ideb das escolas municipais para os anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º) passou de 6,3 para 6,4 e superou em 3,2% a meta estabelecida pelo Ministério de Educação (MEC) para a cidade, que era de 6,2.
Com este desempenho, Curitiba continua com o melhor ensino público do país entre as capitais com mais de um milhão de habitantes.
Outro destaque da capital é o grupo de 120 escolas da rede municipal (69% das unidades) que manteve ou apresentou crescimento no Ideb em relação ao levantamento de 2015.
O Ideb mede a qualidade do ensino com base em dados sobre aprovação e desempenho escolar obtidos em provas de língua portuguesa e matemática do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), do Instituto de Pesquisa Anísio Teixeira (Inep).
Em relação aos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º), Curitiba é a primeira colocada entre as capitais com mais de um milhão de habitantes, com 5,2. Das 185 escolas da rede municipal, apenas 11 atendem estudantes do 6º ao 9º ano.
Formação de professores
Os resultados do Ideb são importantes para que as escolas possam analisar e qualificar os dados coletados pelo Inep e corrigir e aplicar novas estratégias e políticas. Com a análise dos dados é possível, por exemplo, constatar onde estão os avanços ou a dificuldade dos estudantes e, a partir daí, reformular ou potencializar a formação dos professores na área.

2)    Na rede municipal, 83% das escolas têm Ideb igual ou superior aos países da OCDE
Curitiba avançou de 6,3 para 6,4 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador da qualidade de ensino do Brasil, e conquistou outro importante resultado para rede municipal de ensino.
Os dados divulgados pelo Ministério da Educação em setembro de 2018 mostram que 145 das 174 escolas municipais avaliadas (83%) tiveram índice igual ou superior a 6,0, patamar educacional correspondente ao de países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Já a meta de 6,2 para a rede municipal curitibana estabelecida pelo Instituto de Pesquisa Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Ideb, foi atingida ou superada por 119 escolas avaliadas (68%).
“A melhora no desempenho dos estudantes está relacionada a uma série de investimentos e ações colocadas em prática nos últimos 21 meses”, destaca a secretaria municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.
O Ideb é composto com base no desempenho dos estudantes em provas de língua portuguesa e matemática do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e dados da aprovação escolar.

3)    Prova Curitiba
A rede municipal de ensino lançou, nesta gestão, a Prova Curitiba, ferramenta própria de gestão para o desenvolvimento de ações que buscam a excelência do ensino na rede pública municipal. É mais um instrumento para balizar as políticas públicas em Curitiba.”

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias