Como Greca limpou todo o caminho para ser três vezes prefeito | Jornal Plural
Clube Kotter
15 set 2020 - 16h50

Como Greca limpou todo o caminho para ser três vezes prefeito

Com apoio de Ratinho e a máquina na mão, só quem pode atrapalhar a reeleição é a língua do prefeito

A chapa de Rafael Greca ficou finalmente pronta, depois de muita turbulência, articulação, algumas traições e uma bela pitada de ousadia. O prefeito, agora no DEM (e não mais no minúsculo PMN) e seu vice do coração, Eduardo Pimentel, agora no PSD (e não mais no PSDB do proscrito Beto Richa) partem para a reeleição com caminho mais ou menos limpo.

Greca deu o pulo do gato ao convencer Ratinho Jr. (PSD) a ficar do seu lado. Como disse João Arruda nas redes sociais, o posto de prefeito de Curitiba às vezes fica mesmo parecendo um cargo em comissão do governador. Ainda mais quando o governador está de caneta cheia e popularidade em alta.

Ao convencer Ratinho, Greca conseguiu tirar Ney Leprevost, seu principal adversário, da jogada. A articulação foi feita com uma certa brutalidade. Eduardo Pimentel, com sua fama de bom moço, foi entrando como quem não quer nada na sede do PSD e, de repente, viram que ele tinha ido com escova de dentes e cuia de chimarrão.

Como nenhum partido pode lançar duas chapas ao mesmo tempo, Leprevost ficou sem saber o que fazer. Correu pra lá e pra cá, disse que confiava na palavra de Ratinho. Bom, pode ter sido só da boca pra fora. Mas, se acreditou mesmo, deu uma da Velhinha de Taubaté. Todo mundo sabia que, apesar da cara de paisagem, Ratinho estava por trás daquilo.

Greca ainda deu sorte. Numa promoção do tipo compre um, leve três, acabou ganhando de brinde as desistências de Luciano Ducci e Luizão – seus partidos foram também alegremente cooptados pelo Palácio Iguaçu.

Sobravam dois adversários com alguma força. Mas Gustavo Fruet (PDT), sem ver chances reais e perdendo a força alheia para impor um segundo turno, preferiu evitar um possível desastre eleitoral que poderia afundá-lo de vez. Sobrou só Francischini (PSL) que, sozinho, dificilmente pode fazer algo.

Os outros candidatos, convenhamos, estão pensando em fazer nome, construir carreira, atrapalhar um pouco… Mas dificilmente acreditam a sério que podem chegar a um segundo turno. Goura (PDT) é um deputado promissor. Jovem, terá a chance de se apresentar para o curitibano e, quem sabe?, carimbar a passagem para Brasília daqui dois anos.

Greca tem tudo para ser reeleito. Tudo. Apoio do governador. Máquina da prefeitura na mão. Dinheiro. Partidos. Vereadores para servirem de cabos eleitorais. Tudo. Seu verdadeiro “opositor” é a própria língua: é improvável que ele chegue a outubro sem soltar mais uma das suas.

Em 2016, estava quase eleito quando falou que vomitou por causa do cheiro de um mendigo. Disse que as mulheres não precisavam ser empoderadas, e sim amadas. Agora, aquecendo a língua para a reeleição, já disse que os mortos por Covid em Curitiba são gratos a ele. Vá saber o que dirá nos próximos dias.

Caso consiga levar a eleição, Greca será o primeiro prefeito eleito três vezes na capital. Jaime Lerner, seu herói pessoal que hoje não quer nem ouvir falar no nome do discípulo, teve três mandatos, mas dois como biônico (só foi eleito mesmo na terceira vez, em 1988). Taniguchi e Beto tiveram duas eleições cada. Três vitórias, ninguém.

Imagina o ego do homem.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

5 comentários sobre “Como Greca limpou todo o caminho para ser três vezes prefeito

  1. Fala do irrelevante candidato Goura mas ignora completamente a Dep. Yared que tem crescido nas pesquisas eleitorais?
    Isto é reportagem ou jogo político?

  2. Olá! Josildo, não tem jogo político nenhum. Só uma análise. Acredito que a deputada Yared tem muito a ganhar com a campanha, mas por enquanto passa longe de estar disputando a ponta.

    1. Olá, Galindo. Obrigado pela atenção! Eu fiz este comentário mais ácido para justamente chamar a atenção do que às vezes pode parecer. Não vejo nada contra o Goura, mas acho que devemos prestar atenção às outras candidaturas que tem muito a crescer (mesmo com o pouquíssimo tempo) para não causar estas más as impressões.

      Bom trabalho.

  3. Eu só vejo elogios e a tentativa demagógica de defender Goura, um pseudodemocrata da Rua São Francisco. Afinal, não consegue sossegar mais que 2 anos em um cargo, usando a política como trampolim político e com proposições no mínimo irrelevantes, para ser mais brando. Esse mote de centro-esquerda não sobrepõe a figura tão oportunista e demagoga do político de biênio.

  4. Eu só vejo elogios e a tentativa demagógica de defender Goura, um pseudodemocrata da Rua São Francisco. Afinal, não consegue sossegar mais que 2 anos em um cargo, usando a política como trampolim político e com proposições no mínimo irrelevantes, para ser mais brando. Esse mote de centro-esquerda não sobrepõe a figura tão oportunista e demagoga do político de biênio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias