Centro que atende moradores de rua é fechado por problemas elétricos | Plural
3 dez 2019 - 15h19

Centro que atende moradores de rua é fechado por problemas elétricos

Sob risco, fiação antiga precisou ser trocada e local ficou sem energia. Unidade, no Jardim Botânico, atende 90 moradores de rua

Após problemas na fiação elétrica do Centro Pop Plínio Tourinho, no Jardim Botânico, em Curitiba, todos os 90 usuários do local precisaram ser transferidos na noite de ontem (2). Sem energia, e sob risco, a unidade foi fechada e só deve reabrir após avaliação da Copel.

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), o problema com a fiação antiga e arriscada já havia sido alertado durante reunião em junho. “O Centro Pop está sem energia há três dias por conta de instalação elétrica precária, com risco a servidores e usuários. O problema não é de hoje e já foi até colocado em mesa de discussão. Pedimos a urgente revisão da estrutura, o que não aconteceu. Agora, todos os usuários estão sendo transferidos às pressas”, diz o diretor do sindicato, Marcos José Franco.

A Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba confirmou a falta de energia no fim de semana, mas diz que o serviço foi mantido no sábado e domingo. Ontem, porém, com a total falta de eletricidade na casa – e após avaliação da Copel – chegou-se à conclusão de que o concerto deveria ser mesmo feito pela Prefeitura.

De acordo com a FAS, toda a fiação elétrica do Centro Pop foi trocada, nesta segunda-feira (2), e agora aguarda apenas o religamento do transformador, pela Copel.

Os usuários idosos do local foram transferidos para a Casa de Passagem Plínio Tourinho, a poucos metros dali, e os demais para outras unidades onde havia vagas.

Centro Pop Plínio Tourinho tem capacidade para 90 moradores de rua. Foto: Sismuc
Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias