11 abr 2022 - 9h30

Campanha arrecada recursos para construção de ninhos destinados a espécies ameaçadas

Recursos vão ser usados em programas de preservação do papagaio-de-cara-roxa, papagaio-de-peito-roxo, papagaio-verdadeiro e papagaio-charão

A campanha Adote um Ninho, promovida pelo Programa Papagaios do Brasil, reúne vários projetos de conservação que atendem espécies ameaçadas, como papagaio-de-cara-roxa, papagaio-de-peito-roxo, papagaio-verdadeiro e papagaio-charão. Até o momento, foram arrecadados R$ 63.540,20 para construção de ninhos para as aves. Em fevereiro deste ano, a Fundação Grupo Boticário doou R$ 10 mil para cada uma das quatro espécies, totalizando R$ 40 mil em favor dos papagaios.

Entre os beneficiados está o projeto de conservação do papagaio-de-cara-roxa, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS). “Já construímos 120 ninhos no litoral do Paraná e litoral Sul de São Paulo, área de ocorrência da espécie. Esse projeto começou 1998, quando esta espécie estava ameaçada – agora está quase ameaçada – e a partir daí começamos a monitorar e percebemos que estavam faltando ninhos naturais”, explica Elenise Angelotti B. Sipinski, pesquisadora da SPVS.

Os animais fazem ninho nas cavidades dos troncos e a partir de 2003 SPVS começou a instalar ninhos artificiais, que permitiram o nascimento de mais de mil filhotes.

A ideia da SPVS é que ao invés de presentear com ovos de chocolate, as pessoas aproveitem a Páscoa para adotar um ninho.

Não há valor fixo para a doação e cara padrinho ou madrinha pode escolher para qual espécie pretende direcionar o recurso. Para ajudar basta acessar o site Papagaios do Brasil.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds