17 maio 2021 - 21h45

Aulas continuam presenciais em escolas particulares e estaduais do PR

Toda Rede Privada e cerca de 200 colégios estaduais foram autorizados a voltar, mas há cidades que proibiram; professores seguem em greve

O novo decreto do governador Ratinho Jr (PSD) não traz novas restrições às escolas, portanto, todas as instituições da Rede Particular de Ensino e cerca de 200 da Rede Estadual do Paraná continuam autorizadas a oferecer o ensino presencial aos alunos. O modelo, no entanto, vem enfrentando resistência dos professores e educadores, que seguem em greve desde 10 de maio. Algumas cidades do Estado chegaram a suspender as atividades por decretos municipais, devido à alta de casos de Covid-19.

A mobilização atinge boa parte dos profissionais que retornaram, avalia a APP-Sindicato, que representa os educadores estaduais. “O nosso foco está em combater a abertura das escolas neste momento e convencer as pessoas a não irem pras escolas. Há resistência em boa parte, mas verificamos que há muita pressão e ameaça por parte de chefes dos Núcleos Regionais e de direções de escolas. Professores que não estão indo recebem ligações diariamente com isso”, afirma a entidade.

Segundo a APP, o número de escolas abertas para os alunos é bem menor. “O governo trabalha com 200, mas isso não é totalmente verdade. Muitas escolas retomaram atendimento de sala de recursos, por exemplo, que é uma espécie de reforço e eles contam como escola aberta pra dizer que tá funcionando. Há muitos relatos de salas vazias pois os pais também não aderiram a este retorno.”

A entidade destaca que “em Guarapuava e União da Vitória, as autoridades consideram um risco manter as aulas presenciais e já anunciaram medidas mais duras de isolamento social”. Em Curitiba, nenhuma escola estadual voltou com as aulas presenciais.

De acordo com a presidenta do Núcleo Sindical de Guarapuava, da APP, Terezinha dos Santos Daprai, a volta das aulas presenciais só comprovou os argumentos já levantados pelos professores, de que não há segurança nas escolas até a vacinação. “Vamos manter nossa posição, defendendo a vida e o retorno das atividades presenciais só após a vacinação de 70% da população, que é o ideal para que o afrouxamento das medidas restritivas seja feito com segurança”, diz ela.

A Secretaria Estadual de Educação (Seed) informou que as medidas nas escolas seguem com restrições, como distanciamento social e utilização de máscaras e álcool em gel, e que em União da Vitória e Guarapuava o retorno das escolas para o modelo remoto se deu devido a decretos municipais, que estipularam o ‘lockdown’, provocando o fechamento dos colégios estaduais. Em União da Vitória foram dois fechados. Em Guarapuava foram sete. Na Capital, nenhuma escola havia retornado ao modelo presencial e todas e seguem no ensino remoto.

Nesta segunda-feira (17), o Paraná registrou 2.366 novos casos e 32 mortes pela Covid-19. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.019.896 casos e 24.559 óbitos.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias