Aleitamento materno preserva imunidade dos bebês na pandemia | Jornal Plural
Clube Kotter
4 ago 2020 - 20h36

Aleitamento materno preserva imunidade dos bebês na pandemia

Campanha Agosto Dourado reforça importância do aleitamento e da vacinação. Mães com Covid também podem amamentar

Pediatras do mundo inteiro usam o mês de agosto para incentivar a amamentação. A campanha Agosto Dourado reforça a importância do aleitamento materno para a saúde da mulher e do bebê. Mesmo na pandemia, o alerta é importante na preservação da imunidade da criança, ao lado das vacinas.

De acordo com especialistas, mesmo em casos positivos de Covid-19, o aleitamento e a vacinação precisam ser mantidos. Em caso de internações em UTI neonatal, o leite materno deve ser oferecido, mas a amamentação só deve ser presencial se a mãe for assintomática para o coronavírus e não tiver histórico de contato de risco para a doença nos 14 dias anteriores.

“Não há evidências científicas de que o aleitamento materno de uma mãe contaminada com coronavírus possa trazer danos ao bebê. Então ela deve amamentar, respeitando seu quadro clínico e tendo todos os cuidados de higiene, como lavar as mãos, evitar o contato do bebê com o rosto da mãe, usar luvas e máscara. Mas o leite materno é muito importante como nutriente, pois passa os anticorpos IGA que atuam na imunidade da criança”, reforça o pediatra Armando Salvatierra, presidente do Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade Paranaense de Pediatria (SBP).

A amamentação é considerada base para a construção de um futuro saudável para os bebês nos seus primeiros meses de vida. Ela estimula o desenvolvimento das funções digestivas e imunológicas, além de proteger de doenças infecciosas e respiratórias. Assim, sua importância se torna ainda maior em época de Covid-19.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a pandemia da Covid-19 pode deixar cerca de 117 milhões de crianças sem imunização contra o sarampo em 37 países. Além disso, a tendência é de que os índices de cobertura vacinal de todo o planeta diminuam com a crise sanitária. Em médio prazo, as consequências disso podem superar inclusive aquelas provocadas pela própria pandemia.

Mamaço Virtual

Na tentativa de reverter esse quadro, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e as suas filiadas, entre elas a Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), estão lançando o Agosto Dourado, que vai se dedicar a alertar às famílias brasileiras sobre a relevância de uma dupla estratégia para manter a imunidade das crianças, a vacinação e o aleitamento materno.

A OMS estima que 820 mil mortes de crianças menores de cinco anos podem ser evitadas neste ano com o aleitamento materno. Anualmente, entre dois e três milhões de mortes são evitadas por meio da vacinação. Para os especialistas, a sociedade precisa estar atenta a essas duas práticas de proteção da saúde.

As ações do Agosto Dourado serão intensificadas pelos pediatras paranaenses ainda nesta semana. No dia 7 de agosto, das 17h às 19h será realizado na internet o evento chamado de “Mamaço Virtual”. Após preencher um formulário, pais terão a oportunidade de debater temas importantes relacionados ao aleitamento materno e vacinação.

Graziele Tavares e Micael, durante a amamentação. Foto: Arquivo Pessoal

Programação para Saúde

No dia 17 de agosto, às 9h30, os especialistas da Sociedade Paranaense de Pediatria participarão da palestra virtual “Aleitamento materno em situações especiais”, promovida pela Secretaria Estadual de Saúde do Paraná. O evento é destinado para os profissionais de saúde e terá transmissão por meio da plataforma exclusiva do governo do Estado.

A agenda completa da iniciativa inclui ainda os seguintes temas:

  • Em 10 de agosto: “Início da lactação e a importância da doação de leite humano”;
  • Em 24 de agosto: “Estratégias para promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno”;
  • Em 31 de agosto: “Guia alimentar para crianças brasileiras menores de dois anos”;

Além dos eventos on-line, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) conta com um site oficial, no qual as famílias podem encontrar uma série de informações, baseadas em evidências científicas sobre os benefícios da prática do aleitamento materno, associados às imunizações.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Aleitamento materno preserva imunidade dos bebês na pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias