Só Novo vota contra piso para enfermeiros | Jornal Plural
12 maio 2021 - 19h26

Só Novo vota contra piso para enfermeiros

Moção por pagamento mínimo acabou sendo aprovada por vereadores

Apenas um partido votou contra a instituição do piso salarial para enfermeiros em Curitiba. As duas vereadoras do Novo, Indiara Barbosa e Amália Tortato, se posicionaram contra as moções que estavam sendo votadas nesta quarta (12). Ambas estabeleciam o piso de R$ 7,3 mil, que acabou sendo aprovado.

Indiara e Amália, adeptas do liberalismo, afirmaram que a criação de um piso iria acabar sendo prejudicial à categoria, já que diminuiria as contratações – o preço do profissional se tornaria impeditivo ou pouco atraente.

Amália Tortato chamou particularmente a atenção ao usar como exemplo a situação de um montador de móveis. Segundo ela, se existisse um piso de R$ 500 (!) para chamar o montador, as pessoas iriam preferir fazer o serviço sozinhas,. Como não há, é possível estabelecer um preço mais baixo e as pessoas preferem fazer uso do serviço.

Professor Euler (PSD), autor de uma das moções (a outra partiu de Carol Dartora, do PT), lembrou que num caso se trata de um autônomo, no outro de um profissional CLT; sem contar que você pode até montar o móvel, mas não pode fazer o papel de um enfermeiro.

Ou seja: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

18 comentários sobre “Só Novo vota contra piso para enfermeiros

  1. Que absurdo se um movel ficar torto ou nao sair do jeito que o cliente deseja tem jeito de arrumar. Agora quando vcs desse partido ou algum parente estivererem internados vao dizer Enfermeiro cuida bem do meu amor. Trata se de vidas nao tem comparacao de responsabilidade

  2. Em primeiro lugar uma vida jamais deve ser comparada a um objeto, pois os minutos e o conhecimento são de suma importância p um resultado satisfatório. O mesmo não se aplica a um móvel pq ele n vai parar se deixar p depois. Em segundo, o trabalho da enfermagem é a base da instituição e é responsável por mais de 70% do seu funcionamento. E em terceiro, somos essenciais p vida na arte de cuidar. Precisamos de respeito e valorização.
    Vereadora Amália Tortato a Sra gostaria de ser tratada como pessoa ou como móvel ao dar entrada num hospital ?

  3. Olá,
    Muito boa a resposta do professor Euler. O Novo, que já nasceu velho, é o representante atual do pensamento escravocrata, é composto por sinhazinhas é sinhozinhos da velha política da exploração dos mais vulneráveis.

  4. É impressionante como o cidadão médio é absolutamente ignorante em entender a relação “causa e efeito” e de compreender minimamente questões econômicas básicas. O fato de existir uma lei colocando um piso para uma categoria, qualquer que seja, é uma tolice. Pena que poucos se dediquem a pensar um pouco e questionar. Preferem se alinhar à balela do “piso salarial”, como se isso fosse proteger a categoria – o que está longe de ser verdade. Vamos lembrar que o Brasil é campeão de engessamento nas relações trabalhistas e, não por acaso, é péssimo em gerar emprego e renda.

    1. Talvez o senhor não saiba mas há lugares q oferecem R$ 900 para um enfermeiro formado q estudou intensamente 4 anos. Um salário mínimo impediria essas empresas ridículas a oferecer salários ridículos para uma classe primordial para a vida humana.

      1. Oras, se tem empresas que pagam “só” R$ 800,oo, você acha que irão pagar “na marra” o piso salarial impositivo??? A empresa vai falir e vocês perdem emprego OU a empresa que não quiser falir NÃO vai contratar enfermeiros “profissionais” e vai dar um jeito… Não adianta impor um piso utópico.

        1. Ninguém vai falir, jovem. Isso é conversa de dono de hospital milionário. É incrível como todo neoliberal acha que a economia funciona como se a sociedade fosse composta por ratos de laboratório.

        2. Não existe hospital sem enfermagem meu caro. Se fosse imposto o salário mínimo por obrigação teriam q pagar o mínimo

  5. R$ 500 para montar um móvel está caro, quase o preço de um. Mas sou favorável ao piso de enfermeiro, estes salvam vidas, e vida não tem preço que pague.

  6. Essas lokas estão comparando nossa categoria com montador de móveis aff ela ainda vai ficar doente precisar de nós para cuidar dela está vaca miserável

  7. Certamente a profissão é importante, mas quando se estabelece um piso, se atrapalha a geração de vagas.. algumas passarão aos auxiliares de enfermagem. Além disso, o que deve acontecer é que muitos empregadores passem a contratar como PJ, caso possível. Aqueles que não podem fazer isso, como o setor público, terão seus gastos com saúde aumentados, sobrando mais uma vez para os pagadores de impostos (lembro que os mais pobres pagam mais impostos proporcionalmente aos seus rendimentos). Planos de saúde repassarão os custos para os clientes… ou seja, medida ineficaz. Só o NOVO votou corretamente!

    1. Ué então porque o imposto ainda é tão alto e porque os planos de saúde sempre estão em reajuste altíssimos ? Ainda não existe um piso salarial para a enfermagem e tudo continua caro. Seu argumento junto com esse partido fraco é ínfimo e sem lógica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias