Ratinho libera abertura de igrejas e templos religiosos | Plural
21 Maio 2020 - 16h13

Ratinho libera abertura de igrejas e templos religiosos

Governador cedeu à pressão da bancada evangélica na Alep. A medida garante liberdade de crença para os paranaenses durante a pandemia

O governador Ratinho Júnior (PSD) sancionou, na quarta-feira (20), o projeto que inclui igrejas e templos religiosos na lista de atividades essenciais no Paraná. A norma veta o fechamento total dos centros religiosos enquanto perdurar a calamidade pública no Paraná.

A sanção é uma vitória para a bancada evangélica da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) – autora do projeto. De acordo com o deputado Alexandre Amaro (Republicanos), que também é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, a lei beneficia a todos que praticam a sua fé, independentemente da religião. Segundo ele, o decreto aprovado trará respeito ao direito de crença dos paranaenses.

As igrejas e templos da capital estavam fechados por um decreto assinado pelo governador Ratinho no início de março. Com a nova lei, os centros religiosos podem permanecer abertos, desde que respeitem as normas das secretárias municipais e de Estado da Saúde, e funcionem com espaço reduzido e com menos pessoas nos cultos e missas. O atendimento presencial individualizado nas igrejas também está mantido.

O projeto tramitou com certa facilidade na Alep. Foi aprovado com 43 votos a favor e seis contra. Integram a bancada evangélica os autores do projeto, Alexandre Amaro e Gilson de Souza (PSC), Cantora Mara Lima (PSC), Delegado Francischini (PSL), Soldado Fruet (PROS), Artagão Júnior (PSB) e Ricardo Arruda (PSL).

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?
0 0 voto
Article Rating
Subscribe
Notificação
guest
0 Comentários
Comentário no texto
Ver todos

Últimas Notícias

0
Adoramos ouvir você, deixe seus comentáriosx
()
x