Prefeitura de Curitiba tem primeiro pré-candidato abertamente gay | Jornal Plural
16 jul 2020 - 22h35

Prefeitura de Curitiba tem primeiro pré-candidato abertamente gay

Diego Xavier é jornalista e ativista do movimento LGBTI+. Seu nome foi confirmado em live com presidente municipal do PSOL e representante do Grupo Dignidade

Curitiba pode ter pela primeira vez um candidato gay ao cargo de prefeito O jornalista e ativista LGBTI+ Diego Xavier lançou seu nome como pré-candidato pelo PSol. Ele ainda precisa ser aprovado nas prévias do partido. Diego lançou sua pré-candidatura nas redes sociais.

A transmissão ocorreu com a participação do atual coordenador de juventude do Comitê LGBT da Secretaria de Justiça, Trabalho e Família do Estado e diretor administrativo do Grupo Dignidade, Lucas Siqueira, e com a presidente do PSOL em Curitiba, Etiene Bento dos Santos.

Diego tem 35 anos e é paranaense, de Cambé, no Norte do Estado. Trabalhou com campanhas políticas e tem experiência como assessor de comunicação na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) e na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

“Renovar a política é muito importante. É fazer diferente para ter resultados diferentes. Quero ver uma Curitiba que seja verdadeiramente para todos. Uma cidade humana e que se preocupa com o bem estar do seu povo, seja ele hétero, gay, preto, pardo, branco, ou seja, curitibano”, afirma Diego em seu site oficial.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Prefeitura de Curitiba tem primeiro pré-candidato abertamente gay

  1. As palavras são sempre comoventes, mas, no fim, os ideais são outros. Se ele se candidatasse por algum partido que não fosse tão contraditório, poderíamos acreditar que ele quer uma Curitiba mais “humana”. No fim, o que ele quer é o que todo candidato de extrema esquerda quer: enganar. A menos que ele seja ingênuo e não saiba que o que o PSOL defende pra valer é contrário a tudo que ele diz querer defender e acreditar, ele será como os outros do partido: um charlatão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias