Governo Ratinho não paga reposição, mas fala em acordo sobre salários | Jornal Plural
Clube Kotter
29 abr 2019 - 17h21

Governo Ratinho não paga reposição, mas fala em acordo sobre salários

Comissão inicia amanhã discussões para pagamento da data-base

O reajuste de 4,8% reivindicado pelos servidores estaduais do Paraná não foi acordado durante a reunião desta segunda-feira (29) mas, pela primeira vez, o atual governo sinalizou um acordo. Para que se chegue lá, uma comissão com representantes do Executivo, do Legislativo e dos trabalhadores começa nesta terça as discussões para que as propostas sejam logo acordadas e a reposição entre na folha de pagamento de maio.

A reivindicação foi a principal pauta do encontro de mais cedo, no Palácio Iguaçu, entre o vice-governador, Darci Piana, e representantes do Fórum das Entidades Sindicais (FES) do Paraná – que reuniu 10 mil servidores no Centro de Curitiba hoje, e mobilizou uma greve geral no funcionalismo público nesta segunda. “O governo se colocou na posição de negociar e debater a data-base. Saímos do zero”, avalia Marlei Fernandes, da coordenação do FES.

“Tivemos ainda o anúncio da contratação de 71 novos médicos peritos e outros 40 médicos do trabalho para vários municípios, com um atendimento mais humano. Essa é uma pauta importante que avança”, reforça a sindicalista. “Também falamos sobre o adoecimento da categoria e sobre nossa preocupação com a privatização do serviço público”. (Leia mais sobre o tema aqui.)

A Reforma da Previdência não ficou de fora. “Tantas mudanças na previdência sem o devido debate com o servidor. Precisamos ampliar essas discussões. Um debate franco, longo e aberto é o que queremos e entendemos ser necessários sempre”.

Marlei Fernandes, do FES

“A comissão vai discutir, avaliar. O governo vai apresentar as suas condições sobre a possibilidade de juntar os compromissos em atraso com a data-base”, sustenta o vice-governador, alertando sobre a dificuldade de zerar defasagens de uma única vez. “O Estado precisa dos servidores, temos um respeito grande com todos, mas também precisamos respeitar os limites legais”, pondera Piana.

“Tem que ser rápido”

Na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) já há uma Bancada de defesa do serviço público, liderada pelo deputado Professor Lemos (PT), que deve também integrar a comissão de negociação com o governo e servidores. “Essa comissão irá avaliar cada uma das demandas da pauta dos servidores e trabalharemos para chegar a um acordo, não só para data-base mas para as outras reivindicações”, explica Lemos.

Segundo o deputado, há urgência nas discussões sobre o reajuste, já que o aumento de 4,8% precisa ser aprovado e votado em breve para entrar ainda na folha de pagamento de maio. “Os números apresentados pelo FES demonstram que o Estado pode repor a inflação na data-base sem problema fiscal ou financeiro, há margem para atender a reivindicação, pois é apenas a reposição da inflação. Tem que ser rápido”.

O líder do governo na Alep, deputado Hussein Bakri (PSD), acredita que a saída seja a comissão definir uma pauta já para os próximos meses e anos, “para não ficar nesse desgaste das negociações anuais”.

Greve desta segunda paralisou atividades em todo Estado. Foto: Giorgia Prates/Plural

“Hoje mesmo já teremos os representantes e amanhã começamos a trabalhar nisso”, garante Marlei. O funcionalismo público do Paraná é composto atualmente por cerca de 220 mil servidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias