Dois senadores do PR votam contra projeto das fake news | Jornal Plural
Clube Kotter
1 jul 2020 - 14h11

Dois senadores do PR votam contra projeto das fake news

Aprovado por 44 votos favoráveis e 32 contrários, proposta visa limitar propagação de informações falsas em redes sociais e serviços de mensagens. Texto segue para a Câmara

O Senado Federal aprovou, nesta terça-feira (30), o texto do projeto de lei 2630/20, que diz respeito ao combate às notícias falsas em redes sociais e serviços de mensagens. O relatório final foi aprovado apesar de pedidos de adiamento por entidades da sociedade civil e por empresas do setor.

Os senadores paranaenses Alvaro Dias (Podemos) e Oriovisto Guimarães (Podemos) votaram contra a proposta. Flávio Arns (Rede) se absteve na votação. Angelo Coronel (PSD-BA) – autor do projeto e presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News no Senado – afirma que o objetivo da matéria é combater mensagens ofensivas nas redes sociais.

O texto agora segue para a Câmara dos Deputados, caso seja aprovado, segue direto para sanção de Jair Bolsonaro (sem partido). A tendência é que o presidente vete o projeto. Na proposta que passou no senado, o autor retirou uma questão polêmica, que é a exigência de fornecimento de documento de identificação e número de celular para criar contas nas redes sociais e em serviços de mensagem.

Aplicativos de mensagens como o Telegram e Whatsapp deverão suspender as contas cujo número de celular não possa ser identificado como uma pessoa física ou jurídica. Além disso, Facebook, Twitter e Instagram serão obrigados a excluir postagens ofensivas. Quem for atingido por esses discursos difamatórios, terá direito de resposta. Essas plataformas também serão obrigadas a manter mensagens encaminhadas para mais de mil usuários dentro de um banco de dados. A ideia é rastrear a pessoa que enviou aquela informação primeiro.

Em caso de descumprimento, as empresas ficam sujeitas a advertência e a uma multa de que pode valer até 10% do faturamento. O dinheiro das sanções será destinado ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Por fim, o projeto quer criar um conselho consultivo de 21 membros no Senado.

Esses representantes devem debater o papel das redes sociais e a situação da liberdade de expressão. No caso, o grupo deve ser formado por entidades do setor de fiscalização, regulação e da comunicação.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Dois senadores do PR votam contra projeto das fake news

  1. Sói de não ser que nossos representantes continuem votando no retrocesso! Afinal, quem tem medo da verdade? É crível que alguém de mediana inteligência entenda que mentir e fraudar para manipular situações e circunstâncias, seja parte de um quadro honesto de informação? Porque optar pela deformação? Difícil assim! Ainda bem que outros representantes do povo assim não entenderam e mostraram-se favoráveis! Caminhemos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias