Deputados do Paraná gastam em 2019 combustível para 29 voltas na Terra | Plural
13 maio 2019 - 21h14

Deputados do Paraná gastam em 2019 combustível para 29 voltas na Terra

Valor gasto integra o total de R$ 2,2 milhões ressarcidos aos parlamentares

Entre fevereiro e março deste ano, os deputados da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) gastaram R$ 332 mil em combustível. A quantia, convertida em gasolina com base no preço médio calculado pela Agência Nacional do Petróleo daria para bancar 29 voltas no planeta Terra, considerando o rendimento médio de um carro popular.

O valor total gasto integra o rol de verbas ressarcidas aos deputados em decorrência da atividade parlamentar. Entre fevereiro e março, a título de ressarcimento, os deputados gastaram R$ 2,2 milhões. A revelação é do site do Livre.jor.

Os combustíveis, no entanto, não foram a conta maior no levantamento de gastos com a cota mensal dos deputados. São 28 as rubricas de serviços ou produtos que podem ser contemplados na cota de cada deputado. Nos dois primeiros meses da atual legislatura, a rubrica que mais consumiu a verba foi o aluguel de carros, cujo montante entre fevereiro e março somou R$ 462 mil.

Custeamento de serviços técnicos especializados também está entre os primeiros na lista, com R$ 232 mil usados nos dois meses, seguido de um total de R$ 191 mil gastos com pagamento de serviços de divulgação de atividade parlamentar. Gastos com alimentação, rubrica que vem gerando repercussão na imprensa com ações judiciais que buscam apontar irregularidades com o uso do recurso, correspondem a um total de R$ 84 mil no período.

Os dados, compilados do portal da transparência da Alep no final de abril, alimentam o observatório Na Conta do Deputado, ferramenta digital desenvolvida pela agência Livre.jor que permite cruzar os dados dos gastos dos parlamentares e gerar gráficos e planilhas sobre o uso da cota.

Por mês, cada deputado, segundo o Regimento Interno da Alep, tem direito a ser ressarcido em até R$ 31,4 mil com gastos referentes à atividade parlamentar. A verba está fora do cálculo do salário e da verba de gabinete do deputado. O recurso não gasto no mês corrente acumula-se ao próximo. A conta, contudo, zera com a virada do ano.

Na legislatura passada, que durou quatro anos entre fevereiro de 2015 a janeiro deste ano, os deputados usaram R$ 75 milhões da verba de ressarcimento para cobrir gastos com a legislatura. Cerca de 30%, ou seja, aproximadamente R$ 22 milhões, foi para custear transporte dos parlamentares, entre pagamento de combustíveis e aluguel de veículos.

Matéria colaborativa

A apuração desta matéria foi feita de forma colaborativa pelo Livre.jor com os integrantes da oficina de Jornalismo de Dados no 18º Encontro Nacional de Professores em Jornalismo (ENPJ) em Ponta Grossa.

Últimas Notícias