Bolsonaro, Edith Piá e o arrependimento | Jornal Plural
31 mar 2021 - 13h19

Bolsonaro, Edith Piá e o arrependimento

O Anexo V desta semana, claro, tem uma participação da musa francesa de Sergio Moro

Ao contrário do ex-ministro Sergio Moro e de sua musa Edith Piaf (Piá?), o presidente Jair Bolsonaro tem arrependimentos. Se arrependeu, por exemplo, de seis nomeações que fez para seu gabinete. Todo mundo rodou: de militares a civis.

A preocupação agora é o que isso significa, num país em que Forças Armadas e regimes autoritários sempre andaram de mãos dadas. Kelli Kadanus, do Regra dos Terços, e Rogerio Galindo, do Plural, comentam o gostinho amargo que os movimentos em Brasília deixaram em todos os brasileiros que têm pânico de ditadura.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

Um comentário sobre “Bolsonaro, Edith Piá e o arrependimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias