STF pode gastar R$ 1,1 milhão em vinhos premiados e lagostas | Jornal Plural
29 abr 2019 - 6h00

STF pode gastar R$ 1,1 milhão em vinhos premiados e lagostas

Edital prevê serviço à francesa ou à inglesa, cardápio kosher e queijos finos

Enquanto aqui no Paraná a Casa Civil do Governo Estadual serve camarões e o Tribunal de Justiça (TJ-PR) serve frutas frescas, na capital brasileira o Supremo Tribunal Federal (STF) prepara um banquete com cardápio com medalhões de lagosta e sobremesa “Romeu e Julieta brulée”. Os pratos são exigências do edital publicado pelo órgão, que estima gastar até R$ 1,1 milhão na contratação de empresa especializada em serviços de fornecimento de refeições institucionais.

O documento de licitação prevê diversos tipos de cardápios para refeições completas, como jantares e almoços, além de coquetéis, cafés e brunch. Além de alimentação, a contratação atenderá também fornecimento de bebidas. Por exigência do STF, os espumantes e vinhos a serem servidos nos eventos devem ter no mínimo quatro premiações internacionais.

Para os vinhos de uvas tipo Chardonnay ou Sauvignon Blanc, o STF cobra que a “colheita das uvas para fabricação do vinho deve ter sido feita manualmente”. Na lista das demais bebidas, a cobrança do órgão é que a empresa deva servir uísques com envelhecimento entre 12 e 18 anos, cachaças envelhecidas em barris de madeira nobre por até três anos e conhaques envelhecidos por no mínimo dois anos.

Nos cardápios de alimentação o órgão também é seleto. O menu para salgados frios e quentes, entradas, acompanhamentos, buffets, pratos principais e sanduíches passa de uma centena de itens. Destaca-se dentre a variedade de pratos de entradas e pratos principais os camarões ao vapor com molho tártaro; crepes de surubim defumado; bacalhau à Gomes de Sá; medalhões de lagosta com molho de manteiga queimada; e tournedos de filé com molho de mostarda.

Nos demais menus, o STF exige ainda truta salmonada; mix de queijos (gruyère, emmenthal, port-salut, brie, camembert, roquefort, de cabra, gouda, de Minas, provolone); boeuf bourgignon; vitela e codornas assadas; e mesa de frios com presunto de Parma, carne seca dos Grisões e pastrami.

Almoços e jantares, especifica o edital, deverão ser servidos à francesa ou à inglesa. A bebida deve ser servida em louça, taças e copos de cristal de boa qualidade, e a refeição deve ser servida com talheres, bandejas e baixelas de prata, em ótimo estado de conservação. Por fim, o edital do órgão exige ainda a “presença de 1 (um) maître em todos os eventos do qual participe Ministros do STF, Chefe de Estado ou de Governo”.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias