7 fev 2022 - 15h43

Hachimitsu inaugura primeira loja em Curitiba

Empresa investiu R$ 1,7 milhão na unidade no Bigorrilho

A rede de confeitarias de Londrina, a Hachimitsu, Ateliê de Delícias, investiu de R$ 1,7 milhão para instalar a sua primeira loja em Curitiba, em um espaço total de 300m² no bairro do Bigorilho. A inauguração da Hachimitsu Curitiba será dia 11 de fevereiro. Foram contratados 20 funcionários, que passaram por treinamento e terão a companhia de mais cinco colaboradores da empresa vindos de Londrina. Atualmente, o grupo conta com cerca de 150 funcionários em suas nove lojas e na central de produção.

Um diferencial da Hachimitsu, que será mantido em Curitiba, é a arquitetura presente em suas lojas. Cada unidade é única e a confeitaria gosta de ousar ao criar uma nova loja. Na capital paranaense, não houve a liberação do projeto inicial, um deck que seria como uma estufa, cobrindo a casa, mas foi mantido o aspecto do imóvel, com bastante uso de madeira e do verde.

Os produtos serão preparados no local, com envio das matérias-primas da fábrica. Os 250 produtos da Hachimitsu se dividem entre sobremesas, salgados, bebidas e pães especiais. Entre eles, o Salt Pan, receita exclusiva da confeitaria. “Ele é amanteigado, crocante e com um salzinho. É incrível, um sabor que fica marcado. Isso você não encontra em nenhum lugar. É o destaque agora, o mais vendido”, diz Nilo Kato, sócio proprietário da empresa.

Salt Pan

“Temos também as petit four, as amêndoas de chocolate, que fazem um sucesso muito grande de vendas e de crítica. Temos vários destaques nas sobremesas, além de cafés, que o curitibano adora. O café é torrado por nós e o blend selecionado por nós mesmos.”

O início

A história da Hachimitsu começou em agosto de 2005. O casal Nilo e Suely Kato regressaram ao Brasil após ficarem 15 anos no Japão. Foi na Terra do Sol Nascente que Suely começou a estudar confeitaria, como hobby. “Resolvemos pegar esse hobby e transformar em negócio. Foi uma readaptação muito difícil, mais difícil até do que a adaptação lá”, conta Nilo,

Primeira loja Hachimitsu, 2005

Nilo conta que foram meses no vermelho, mas ao adaptar os doces para um paladar mais brasileiro e se basear no que aprenderam nas fábricas do Japão, a coisa começou a dar certo. “Começamos bem pequenos, em um local que cabia cinco clientes. Depois ampliamos, já cabia 20, 25 pessoas. Aí fizemos a matriz e fomos evoluindo, construindo a central de produção, montando outras lojas na cidade.” A Hachimitsu (mel de abelha, em português) hoje tem um faturamento anual na casa de R$ 20 milhões.

Bolos Hachimitsu

“No Japão, a cada estação do ano, eles trocam a vitrine. Nós não conseguimos fazer isso nessa velocidade. Mas vamos mais ou menos nessa pegada. O número de lançamentos no decorrer do ano é bastante grande em comparação com as outras concorrentes, é um diferencial da Hachimitsu.”

Nilo Kato, sócio proprietário da Hachimitsu.

Expansão

A expectativa da Hachimitsu é que a loja na Rua Euclides da Cunha, 816, atenda cerca de 20 mil pessoas por ano. A empresa estuda ainda a instalação de mais três unidades em Curitiba. “Em todos esses 17 anos, Curitiba é um sonho nosso. Sabemos que o público curitibano é muito exigente, então para nós vai ser um desafio muito grande e prazeroso. Gostamos de desafio, e eu sinto que o público de Curitiba nos abraçou, desde a escolha do ponto, o projeto”, afirma Nilo Kato. Segundo ele, a meta é chegar nos próximos anos a São Paulo e Santa Catarina, além de ampliar a presença em grandes cidades do interior do Paraná, como Cascavel, Foz do Iguaçu e Ponta Grossa.

Nilo e Suely na Hachimitsu Matiz
O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds