14 jan 2022 - 22h31

Copel estaria estudando aquisição de R$ 5 bi em energias renováveis

Empresa informou ao mercado, no entanto, que não há decisão sobre investimentos no momento

A Copel estaria analisando uma operação de compra da Rio Energy, responsável por operações comerciais e projetos em implantação de energia eólica e solar. A informação foi vinculada na coluna Broadcast do Estadão. Se concretizada, a operação resultaria na aquisição de  1,1 gigawatt (GW) em potencial de geração. Hoje a Copel tem uma capacidade de geração de 4,8 gigawatts.

Questionada, a estatal respondeu em comunicação a acionistas que “avalia, permanentemente, ativos e oportunidades disponíveis no mercado que possam ampliar seu portfólio, base de clientes e que possam gerar sinergias para seus negócios”, mas que “até o momento, não há qualquer decisão de investimento relacionada a tais rumores de mercado ou a quaisquer outras possíveis transações sob análise da Copel”.

Ainda segundo a coluna Broadcast, do Estadão, “o valor pedido pela Denham Capital pela empresa é de aproximadamente R$ 5 bilhões”. Considerando só o potencial da Rio Energy, a compra dessa empresa significa 18% do potencial total de geração da estatal se tornar renovável.

O Plural é um jornal independente mantido pela contribuição de nossos assinantes. Ajude a manter nosso jornalismo de qualidade. Assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. E passa a fazer parte da comunidade mais bacana de Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os comentários feitos em textos do Plural são moderados por pessoas, não robôs, e não são publicados imediatamente. Não publicamos comentários grosseiros, agressões, ofensas, acusações sem provas nem aqueles que promovem tratamentos sem comprovação científica.

Últimas Notícias

É falso que PT seja responsável por drone que lançou produtos químicos em Minas Gerais

É falso que drone que lançou produtos químicos em evento de Lula e Alexandre Kalil em Minas Gerais foi contratado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em vídeo, pastor diz que investigação da Polícia Civil apontou que equipamento pertencia a uma empresa de propaganda e que operador disse à polícia que imagens seriam usadas na propaganda petista. O caso é apurado pelo Ministério Público Federal (MPF), que desmentiu a versão

Projeto Comprova

É de graça


E vai continuar assim. Mas o nosso trabalho só existe porque ele é financiado por você, leitora e leitor, e por parceiros. Ajude o Plural a continuar independente. Apoie e assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

Já é nosso assinante?
Faça seu login com email ou nome de usuário

Não é assinante?  Assine por valores a partir de R$ 5 por mês.

This will close in 20 seconds