Orquestra Sinfônica do Paraná faz 35 anos com "Parabéns pra você" virtual | Jornal Plural
28 maio 2020 - 21h04

Orquestra Sinfônica do Paraná faz 35 anos com “Parabéns pra você” virtual

Fundada em 1985, a orquestra não deixou a data passar em branco mesmo durante a pandemia

Nesta quinta-feira (28/5), a Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) comemora 35 anos de música. Em um ano atípico para o mundo, a Orquestra teve que se adaptar para celebrar seu aniversário – acostumada a se apresentar no Teatro Guaíra, em 2020 a festa da OSP é agora nas redes sociais.

O tradicional “Parabéns pra você” foi feito por vídeo, com cada músico em suas respectivas casas. A produção virtual contou com o maestro Stefan Geiger e a participação especial da Paideia Escola de Música, Vocal Curitibôcas e Papo Coral Infantojuvenil.

Este ano, o plano era fazer um concerto com a trilha sonora do filme “O Encouraçado Potemkin” (1925), mas a proposta teve de ser alterada em função da pandemia do coronavírus. “Por isso resolvemos fazer esse parabéns virtual, para estarmos perto do público e celebrar a arte do Estado”, diz Monica Rischbieter, diretora do Centro Cultural Teatro Guaíra.

Trajetória

Fundada em 1985, a Orquestra Sinfônica do Paraná é a primeira e maior orquestra pública mantida pelo Governo do Estado. Com sede no Centro Cultural Teatro Guaíra, faz múltiplas apresentações todos os meses a preços acessíveis.

Teve como um de seus fundadores e primeiro maestro-titular o compositor Alceo Bocchino. Nascido em Curitiba, o maestro foi aluno do compositor Villa-Lobos, e se tornou um dos compositores brasileiros mais relevantes no cenário orquestral no Brasil no final do século XX.

Em 35 anos de história, a Orquestra já tocou com mais de 50 maestros, para mais de meio milhão de pessoas e produziu grandes óperas, como “Aída” (1994), de Giuseppe Verdi; “Carmen”, de Bizet; e “João e Maria” (2018), de Engelbert Humperdinck.

Além do repertório clássico de orquestra, a OSP já tocou ao lado de grandes estrelas nacionais, como a atriz e cantora Bibi Ferreira, e locais, como a Banda Blindagem. Desde 2012 faz também “filmes-concertos”, apresentações de filmes mudos com a trilha sonora tocada ao vivo pela orquestra.

Ao todo, a orquestra possui quase 1.000 obras catalogadas em seu arquivo musical, entre compositores brasileiros, internacionais e paranaenses.

Nas redes

Em meio à pandemia, e sem poder tocar no Guaíra, a OSP tem mantido contato com seu público por meio das redes sociais. De brincadeiras musicais com os profissionais da orquestra, até um bingo de espetáculos passados, o público pode interagir pela página da OSP no Facebook .

No espaço virtual, a OSP também traz conteúdos sobre música e apresentações on-line, para matar um pouco das saudades do som da orquestra.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias