Dicas de leitura para o fim de ano? Temos também! | Plural
18 dez 2019 - 21h02

Dicas de leitura para o fim de ano? Temos também!

Romances, jornalismo, histórias curtas: tudo para você ter boas escolhas de leitura

Natal e ano novo é uma daquelas épocas em que costuma sobrar um tempinho extra para a leitura. Então se você pretende dar um presente ou escolher algo para ler nas férias, o Plural reuniu algumas dicas para você. Veja abaixo e se divirta!

Podcast que virou livro

Olha, vou fazer uma coisa minimamente feiosa aqui e dar como dica um livro no qual eu estou envolvido. Mas o fato é que O Palácio da Memória (editora Todavia) é realmente o melhor presente multi-destinatários que eu conheço. São histórias, reais, extremamente breves, muitas vezes tocantes e sempre fascinantes, narradas com um talento incrível pelo podcaster Nate Dimeo, que por enquanto apenas o leitor brasileiro pode ter em forma de livro. Qualquer pessoa que goste de ler, ou que meramente goste de histórias, anedotas, curiosidades, vai ver muita coisa bonita e nova ali dentro.

Caetano Galindo, professor da UFPR, tradutor e autor do romance Lia, publicado no Plural

Um Natal mais humano

A minha dica de Natal é Desabilidade, de Roberto Parmeggiani (editora Nós) porque explica em poucas páginas como uma linguagem empobrecida leva ao esquecimento da complexidade das relações humanas e a perda da capacidade de compreender o mundo. Para ler entre o Natal e o Ano Novo e começar 2020 mais humano.

Daniel Medeiros, professor e autor do podcast Sine Ira et Studio

A ética e os robôs

Li pouco esse ano. Embora não ache o melhor livro dele, ainda assim achei excelente o Máquinas como eu, do Ian McEwan (Companhia das Letras). Pra pensar o humano por meio de robôs e se a ética pode ou não ser relativizada. Esse livro deu origem ao meu post “O céu azul é o mais difícil”.

Cezar Tridapalli, tradutor, escritor e cronista do Plural


Meio ambiente e jornalismo

Indico Brasil: construtor de ruínas, de Eliane Brum (Arquipélago Editorial). Não é de hoje que a Eliane coloca a questão ambiental no centro do debate político brasileiro. Para ela o futuro do país sempre passou pela Amazônia e pelo tratamento agressivo que nossas lideranças costumam dedicar à floresta e aos povos que a habitam. A partir de Altamira, para onde se mudou há alguns anos, a autora revê e reavalia quase duas décadas de nossa história, do início do primeiro mandato de Lula até os primeiros meses do absurdo governo Bolsonaro, sempre sugerindo novas saídas para a ação pública. Um marco do jornalismo e do pensamento independentes.

Luís Henrique Pellanda, músico, escritor e cronista do Plural


Tragédia e riso

Em Uma breve história dos tratores em ucraniano, de Marina Lewycka (Bertrand Brasil), um velho engenheiro de 84 anos começa a trabalhar em sua última obra: uma história dos tratores, de como eles evoluíram e da grande e orgulhosa contribuição do povo ucraniano para isso.

O problema é que no meio do caminho ele se apaixona por uma, digamos, vistosa mulher de 36, e começa a meter os pés pelas mãos. Suas duas filhas entram em pânico e iniciam uma corrida contra o tempo para evitar o que supõem ser uma reedição do velho golpe do baú.

Enquanto as irmãs maquinam planos, começa a aparecer nas reminiscências dessa família de imigrantes ucranianos vivendo na Inglaterra a trágica história do leste europeu: o jugo da tirania, a fome, a guerra, a morte.

Mesmo assim, não é um livro pesado ou angustiante. As trapalhadas do velho e as tiradas da narradora (a irmã mais nova) vão te fazer rir. O texto é leve, fluído. O tipo de livro pra você levar e ler na praia, embaixo do guarda-sol, bebendo caipirinha e discutindo com o ambulante que acabou de inflacionar de novo a Brahma.

Sandoval Matheus, jornalista e cronista do Plural


Sofrimento negro

Colson Whitehead virou uma celebridade com seu livro anterior, Underground Railroad. Agora, faz uma espécie de sequência, sobre o racismo e a tragédia dos negros nos Estados Unidos do século 20. Reformatório Nickel (HarperCollins) fala sobre um lugar que parece cruel demais para ser verdade na Flórida, mas que infelizmente existiu. Garotos negros sendo vítimas de todo tipo de abuso imaginável e algumas histórias de cair o queixo: o capítulo sobre a luta de boxe entre o campeão dos meninos negros e o campeão dos brancos é uma pequena obra-prima.

Rogerio Galindo, jornalista do Plural


Livros de autores plurais

Três colaboradores do Plural acabam de lançar livros. Fica aqui a dica para quem quiser prestigiar a literatura local e conhecer boas histórias.

Caetano Galindo lançou Sobre os Canibais (Companhia das Letras), um volume de 42 contos curtos.

Cezar Tridapalli lançou Vertigem do Chão, seu terceiro romance, que se passa entre Curitiba e a Holanda.

Luís Henrique Pellanda lançou Calma, Estamos Perdidos (Positivo), coletânea de suas melhores crônicas até hoje.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias