Dê livros de dia das crianças! | Plural
1 out 2019 - 23h06

Dê livros de dia das crianças!

Veja quatro dicas de presentes para este 12 de outubro, dadas por profissionais da leitura

O Plural acredita nos livros, na literatura, na arte. Por isso, começa hoje uma série de textos para incentivar pais, padrinhos e tios a dar livros para os pequenos neste 12 de outubro. Hoje vão aqui quatro dicas. E amanhã tem mais!

Dicas de Benedito Costa

As Aventuras de Pinóquio, de Carlo Collodi. Ilustrações de Alex Cerveny. Cosac Naify.

Collodi conseguiu trazer para o universo infantil histórias de universos bem distintos e muito complexos. Temos aí nessa narrativa de uma descoberta da vida Jó, Ulisses, e tantos heróis de outras mitologias. Parece demais para uma criança, certo? Mas não é! Minha dica é ler para seu filho/filha um trecho por dia. Será uma aventura para ambos, tenho certeza. Essa edição é da extinta Cosac, mas você pode encontrá-la em sebos virtuais ou físicos. Boa leitura!

Na Amazon: As Aventuras de Pinóquio

Os três irmãos ou onde tudo pode começar, de Vicente Guimarães. Editora do Brasil.

O primeiro livro que li inteiro foi de Monteiro Lobato. Antes eu via apenas álbuns antigos de figurinhas. Mas o primeiro livro “meu” que eu li foi “Os três irmãos”, presente da professora do segundo ano primário, dona Elizabete. Fiquei em terceiro lugar na sala e ela me deu esse livrinho. Perdi-o e depois minha irmã encontrou um exemplar num sebo. A história é simples — e mudou minha vida. São três irmãos, um bonito, um forte e um inteligente. Bem: difícil fugir desses personagens-tipo… Mas a história é bem bonita, uma defesa de como a leitura pode salvar, ajudar, ou apenas entreter. Então, vão duas dicas: leituras de livros tradicionais (embora tenhamos tantos autores/autoras muito legais hoje) + procuras em sebos. Há um universo lá esperando pequenos leitores!

No Estante Virtual: Os três irmãos

Dica de Caetano Galindo

Bárbaro, de Renato Moriconi. Cia das Letrinhas. 48 páginas, R$ 32,10.

Bárbaro é uma preciosidade. Um livro sem palavras, que precisa ser lido integralmente com a imaginação, e que no fundo trata exatamente disso, do uso da imaginação para suprir as lacunas da realidade. Para crianças pequenas, um livro excelente para os pais lerem junto. Paras as maiores, uma descoberta fina a se fazer por conta própria.

Na Amazon: Bárbaro

Dica de Irinêo Netto

“Pax”, de Sara Pennypacker. Ilustrações de Jon Klassen. Tradução de Regiane Winarski. Intrínseca, 288 páginas, capa dura, R$ 49,90.

Quando eu estava ensinando meu filho a ler sem mim, depois de ter lido para ele desde pequeno, “Pax” foi uma descoberta incrível. É um livro que serve para crianças dos 9 aos 90 anos (piscadinha), e tem uma pegada que lembra “Caninos Brancos”, de Jack London, só que mais simples. O ponto de vista da história se alterna entre um menino e sua raposa. O pai do garoto vai para guerra e obriga o filho a devolver a raposa de estimação para “o mundo selvagem”. Mas o menino não se conforma e quer reencontrar Pax de qualquer jeito, enquanto o bichinho tenta se adaptar à vida sem o menino. O fim é arrebatador. De certa forma, foi o livro que transformou meu filho em um leitor. Foi seu primeiro voo solo.

Na Amazon: Pax

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você entra na nossa lojinha, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Últimas Notícias