Como é o café Starbucks em pó e em cápsulas vendido em mercados de Curitiba? | Plural
escola-publica-de-qualidade
26 jun 2020 - 15h00

Como é o café Starbucks em pó e em cápsulas vendido em mercados de Curitiba?

Avaliamos as cápsulas e o café torrado da marca americana, à venda nos mercados da cidade; e damos a receita do pão de banana

Já está à venda nos supermercados de Curitiba a linha de cafés Starbucks para as cafeteiras Nespresso, Dolce Gusto e café torrado para cafeteiras tradicionais. É o mais perto que a capital já chegou de ter uma cafeteria da marca, e olha que conveniente, é na sua casa.

As opções de sabores e tipos de grãos são limitadas, mas dá para investir em receitas típicas da cafeteria e curtir um café diferente.

No caso das cápsulas, são seis opções de sabores para Nespresso e outras seis para Dolce Gusto. O preço é semelhante às opções de cápsula originais, mas com menor rendimento. Na Dolce Gusto, as cápsulas de bebidas especiais originais da marca rendem oito doses ao preço de R$ 21/22 a caixa. As da Starbucks custam R$ 22,50 para seis doses.

A vantagem das cápsulas é que a bebida tem um sabor mais padronizado. Ou seja, cada xícara vai ter sabor igual da primeira à última cápsula da embalagem. Outra vantagem é que, no caso da Dolce Gusto, há maior variação de drinques, que vão do expresso tradicional ao cappuccino e o caramel macchiato, este último a opção mais doce do cardápio.

Para quem é um tomador de café mais raiz, há três opções de café torrado e moído em embalagens de 200 gramas, também a R$ 22,50 cada unidade. Mas o sabor da bebida final vai depender também do processo de preparação. A Starbucks recomenda 10 gramas de pó para 180 ml de água filtrada. No mais, vai depender da sua cafeteira.

O café moído permite experimentar variações sutis e ou tentar as receitas de drinques da marca fáceis de encontrar na internet, como o caramel macchiato (duas colheres de sopa de essência de baunilha, duas colheres de sopa de xarope de caramelo, uma xícara de leite e duas de expresso). Dica: procure por copycat Starbucks.

E já que você está disposto a cozinhar, é possível aproveitar e fazer o tradicional pão de banana.

São três bananas amassadas, um ovo, uma colher de sopa de fermento em pó, meia xícara de açúcar mascavo, uma colher de chá de canela, duas xícaras de farinha, sal, uma xícara de açúcar, duas colheres de leite integral, meia xícara de óleo vegetal e meia colher de sopa de extrato de baunilha.

Misture tudo (o fermento por último) e coloque para assar. Dica: use açúcar para untar a forma ao invés de farinha.

Claro que não é exatamente uma “experiência Starbucks”, que inclui outras pessoas fazendo o café, o pão de banana e alguém mantendo o ambiente limpo e organizado. Um conforto que tem feito falta para quem está em casa, em isolamento.

Mas é uma opção diferente de café e lanche, especialmente para quem realmente gosta de café.

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.
0 0 voto
Article Rating
Subscribe
Notificação
guest
0 Comentários
Comentário no texto
Ver todos

Assuntos:

Últimas Notícias

0
Adoramos ouvir você, deixe seus comentáriosx
()
x