Com “Space Force”, Netflix faz algo raro: uma comédia com conteúdo | Jornal Plural
2 jun 2020 - 21h29

Com “Space Force”, Netflix faz algo raro: uma comédia com conteúdo

Criada e protagonizada por Steve Carell, série em dez episódios brinca com a corrida espacial e tem um humor espertíssimo

No universo de “Space Force”, uma série em dez episódios que estreou na Netflix há menos de uma semana, o presidente dos Estados Unidos é um sujeito que lembra muito Donald Trump, inconstante e apegado ao Twitter, mas seu nome não é mencionado nenhuma vez. Ele é apenas o POTUS, president of the United States.

E POTUS encasquetou de mandar o homem para a Lua de novo, mas não apenas para tirar fotos e coletar amostras. Ele quer colonizar a Lua. Para dar conta da missão, o governo americano cria uma divisão dentro das Forças Armadas: a “Space Force”, que age de forma independente em relação à NASA.

Para cuidar da força espacial, é chamado o general Mark Naird (Steve Carell), um militar carismático e pouco científico. Aqui vale mencionar que Carell é um comediante espetacular, que fica melhor com o passar do tempo.

Ele cria um militar carismático, que não apela para a caricatura e que também acaba fazendo uma crítica aos clichês militaristas. Numa cena impagável, ele levanta para ir ao banheiro no meio da noite e arruma o seu lado da cama – a esposa continua dormindo na outra metade –, mesmo sabendo que voltaria a deitar um minuto depois.

Carell consegue humanizar seu personagem, apesar de Mark Naird ser um general dentro de uma comédia sobre militares (deve ser a primeira vez que uma coisa assim acontece na história do humor americano).

Em meio à corrida espacial, Naird precisa administrar uma equipe de cientistas liderada pelo dr. Adrian Mallory (John Malkovich) e as vaidades de outros generais, sobretudo de seu desafeto Kick Grabaston (Noah Emmerich). Além de lidar com países adversários que se revelam mais competentes que os Estados Unidos, como a China e a Índia (!).

A série é divertida também por causa dos coadjuvantes, um melhor do que outro.

Carell é um dos criadores da série, junto do roteirista Greg Daniels. Os dois trabalharam em “The Office”, na versão americana, e Daniels é conhecido também por ter criado “Parks and Recreation”. Essas duas séries, entre as melhores comédias deste século, usam o formato de um documentário, com os personagens falando para a câmera. É o que chamam de mockumentary (ou “documentário de mentira”).

“Space Force” não é um mockumentary. Ninguém fala para a câmera.

Streaming

“Space Force” está disponível na Netflix.

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos:

Últimas Notícias