Como está a vida dos entregadores de aplicativo na pandemia?
Clube Kotter
12 maio 2020 - 18h25

Campanha mostra como entregadores de aplicativos ganham a vida na pandemia

Objetivo é contar histórias reais e conseguir ajuda para trabalhadores que passam por dificuldades

A bicicleta e o celular roubados; as contas da casa atrasadas; e a moto estragada em um acidente são alguns dos problemas que entregadores de aplicativo enfrentam em Curitiba. Para contar as histórias de quem se arrisca nas ruas para que muitos recebam entregas no conforto de casa, um trio de produtores curitibanos produziu um filme e lançou uma campanha. 

Eduardo Lubiazi, João Machado e Yuri Maranhão compõem o de trio de direção conhecido como Youth. Juntos desde a faculdade, deram início ao trabalho de produção há oito anos, na área de publicidade. O filme “Dinâmica”, divulgado na internet na semana passada, no entanto, não é uma peça publicitária. “De alguma forma a gente sempre tem um viés político em tudo que a gente faz […]. Isso faz parte da nossa personalidade”, conta Machado sobre a peça autoral, feita para um desafio de documentar esse período de pandemia.

O que era para ser uma sessão de fotos, fazendo retrato de dez entregadores de aplicativo, acabou se tornando uma narrativa real. “Queríamos que a voz desses caras fosse ouvida, e esse ponto de vista considerado de alguma forma”, diz Machado. Além das fotos (realizadas seguindo os protocolos de biossegurança), o grupo também fez entrevistas por WhatsApp, e acompanhou parte da trajetória dos retratados. “O estranho é que, apesar das pessoas serem diferentes, as histórias são sempre bem parecidas”, diz o diretor. 

“Acabei sendo furtado e levaram meu celular e minha bike”, narra – na campanha – o entregador Hugo, que finalizou a entrega de uma pizza mesmo após o assalto. “A gente depende disso, né? Tenho família para cuidar aí…”, conta o áudio de Anderson, que vai ficar 15 dias sem a moto depois de sofrer um acidente. 

Essas histórias surgiram de forma espontânea: “Ficamos uma semana falando com esses caras, o envolvimento é inevitável”, diz Machado. Agora, com a publicação do filme, a campanha é para conseguir ajudar os entregadores. “A preocupação foi de transformar isso [o filme] em algo mais relevante do que uma peça visualmente bonita”, diz. 

Quem quiser ajudar, colaborando com qualquer quantia de dinheiro, ou mesmo oferecendo outras formas de auxílio aos entregares, pode entrar em contato com o trio de produtores pelas redes sociais da Youth Company, ou via e-mail ([email protected])

Ei, você! O Plural pretende sempre oferecer conteúdo gratuito e de qualidade. Mas isso só é possível se a gente tiver apoio de quem gosta do projeto. Olha só: você clica aqui, faz uma assinatura de R$ 15 e ganha um jornal para a cidade. Tá barato, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias