Artistas mandam carta a Ratinho pedindo que não troque diretora do MIS | Jornal Plural
31 maio 2021 - 10h52

Artistas mandam carta a Ratinho pedindo que não troque diretora do MIS

Grupo receia que governo retire Cristiane Senn do cargo por motivos políticos

Uma carta com apoio de diversas entidades e assinada por mais de uma centena de artistas foi enviada ao governador Ratinho Jr. (PR) para tentar impedir que o governo do Paraná troque a direção do Museu da Imagem e do Som (MIS).

Na carta, a classe artística elogia o trabalho da atual diretora do museu, Cristiane Senn, que teria sido nopvamente levado “ao seu lugar de protagonismo como espaço cultural do Paraná, sendo celebrado tanto local como nacionalmente”.

O grupo teme que Cristiane seja trocada em função de interesses políticos. Circula a informação de que Ratinho nomearia uma pessoa indicada por um aliado, embora isso ainda não tenha sido anunciado pelo governo.

Veja a seguir a íntegra da carta.

Ao excelentíssimo Governador do Estado do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior
Ao excelentíssimo Secretário de Comunicação e Cultura do Paraná, João Evaristo Debiasi 
À excelentíssima Superintendente de Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira

Escrevemos esta carta pública direcionada aos gestores estaduais após termos conhecimento de informação de bastidores de que a gestão de Cristiane Senn frente ao Museu da Imagem e do Som do Paraná chegaria ao fim no dia 31 de maio deste 2021. A informação nos tomou de surpresa, visto que o trabalho impecável de Senn levou o MIS-PR novamente ao seu lugar de protagonismo como espaço cultural do Paraná, sendo celebrado tanto local como nacionalmente. O MIS-PR foi transformado em um ponto de convergência, além de promover o encontro de um novo público que até então desconhecia o nosso cinquentenário museu. Visto que não há razão técnica para a troca na direção de Senn no comando do museu, os rumores que chegaram sugerem que se trata de má política em ação: que, em detrimento do interesse público, essa troca se daria por favorecimento – algo incompatível com a relevância do MIS-PR e lisura prometida por esse governo do estado. Esperamos que essa informação esteja errada e que tanto o governador, como o secretário e a superintendente garantam a permanência de Senn no cargo, assim como as condições ideais e de respeito para que isso aconteça.

Cabe compartilhar que, em reunião com a diretoria da gestão anterior da AVEC (2019-2021), a arquiteta e ex-presidente da Bienal de Curitiba Luciana Casagrande Pereira, em sua primeira passagem pela Superintendência de Cultura, nos informou que havia aceitado a empreitada dadas as condições de uma gestão em que teria autonomia para selecionar as melhores profissionais e com a devida competência para assumir a coordenação dos museus do estado. E assim o fez ao anunciar Senn, cujo profissionalismo e efervescência promovida pelas suas ações foram destacados posteriormente pela superintendente em fala pública durante o Fórum Paranaense de Cinema. A experiência prévia de Senn a credenciava para as funções específicas e de interesse público às quais foi incumbida ao assumir o MIS em 2019: ressalta-se a sua ampla experiência prévia em projetos entre os mais destacados do estado e país de formação e educação audiovisual, como o Ficção Viva e o Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba, assim como na produção de filmes, caso do longa-metragem A grande nuvem cinza (2016). 

A indicação de Senn era uma vitória para o audiovisual e para a população paranaense em geral. Rapidamente, esse ganho se verificou na prática: Senn apresentou-se como uma excelente gestora, levando sua experiência, profissionalismo e conhecimento da área para o dia-a-dia do MIS-PR. Neste período de dois anos, de abril de 2019 a maio de 2021, em que Cristiane Senn permanece como diretora do MIS, ela teve como foco o diálogo com diferentes campos: a comunidade audiovisual, a acadêmica, de outras instituições museais e cinematecas e com a comunidade em geral. Um dos marcos de sua gestão foi a criação do Cineclube Aurora, dando visibilidade e apresentando sessões e discussões sobre cinema do Paraná. É marcante que a iniciativa gerou, para além dos muros do museu, uma onda de projetos sobre a história do cinema do estado, como a iniciativa Paranáflix e o podcast Histórias do Cinema Paranaense. Entre as ações importantes da gestão de Senn, destaca-se a readequação do acervo de películas, com treinamento da equipe, oficina e mostra organizados por Hernani Heffner, Gerente da Cinemateca do MAM. Isso foi acompanhado da ampliação das ações educativas, com visitas guiadas e cursos, tanto na sede do museu, de modo itinerante no interior do Paraná e também online. O MIS passou a ter representação no Encontro Nacional de Arquivos e na Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, a ABPA. E criou estratégias para ampliar o conhecimento público sobre seu acervo, como através da iniciativa Conheça o acervo, apresentada em suas redes sociais. Entre outras ações, destacam-se Brinquedos e brincadeiras; Cinema, comida e conversa; a exposição Ilhas da Imaginação; oficinas de fotografia analógica e digital; oficina de brinquedos ópticos e exibições e mostras de filmes em geral. Em parceria com outras instituições, o MIS realizou em suas dependências a Mostra Cordilheira, a Mostra de videoclipes paranaenses de Rap; o CineFAP; o Cineclube Cerejeira; aulas do Mestrado de Cinema da UNESPAR; a Semana de Museologia EMBAP, e, ainda, entre espaços públicos como a UFPR, a Cinemateca de Curitiba e o Cine Passeio, o MIS-PR foi aquele que recebeu o maior número de assembleias mensais da AVEC, reforçando o valor dado pelos profissionais do audiovisual paranaense à atual gestão do MIS-PR.

Diante do exposto, nos surpreendeu muito a guinada na política cultural do estado, apontando para a exoneração da diretora do MIS, no que parece ser uma adoção da política do favorecimento em detrimento do rigor técnico nas indicações, em que o interesse político-partidário tem maior peso e influência na decisão final do governante do que o interesse público e currículo de vida dedicada a uma determinada área do conhecimento. Cabe então ao estado, para evitar novo constrangimento futuro, o estabelecimento de critérios transparentes para novas indicações de cargos centrais da cultura, visando coibir tais práticas. Nesse caminho, sugerimos, está a abertura de diálogo e validação por parte do Conselho Estadual de Cultura, formado por representantes de diferentes classes e representações culturais, assim como a exigência de experiência comprovada na área de interesse. A um Museu da Imagem e do Som, por exemplo, não se espera menos que um profissional com larga experiência em audiovisual e educação, assim como conhecimento sobre preservação audiovisual e gestão, áreas em que a coordenação de Senn tem mostrado sua excelência.

Desta forma, solicitamos explicações sobre estas mudanças abruptas na gestão e a garantia da permanência da produtora Cristiane Senn na diretoria do MIS.

Atenciosamente,

AVEC-PR – Associação de Vídeo e Cinema do Paraná
ABPA – Associação Brasileira de Preservação Audiovisual
ANDAI – Associação Nacional Distribuidores Audiovisual Independente
Apan – Associação de Profissionais do Audiovisual Negro
API – Associação das Produtoras Independentes do Audiovisual Brasileiro
MAP – Mulheres do Audiovisual Paraná
SATED/PR – Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Paraná
Siapar – Sindicato da Indústria do Audiovisual do Paraná

E as seguintes pessoas físicas:

Adenilson Muri Cunha (Produtor de Finalização
Adriano Esturilho (Presidente Sated/PR, Vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura de Curitiba, diretor e produtor)
Aly Muritiba (Cineasta)
Amaranta Cesar (Professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, pesquisadora e curadora)
Ana Catarina Lugarini Freitas (Cineasta)
Ana Claudia Camila Veiga de França (Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, pesquisadora e professora)
Ana Paula Málaga Carreiro (Produtora Cultural)
Ana Pellegrini Costa (jornalista e pesquisadora de cinema)
Anderson Simão (Produtor)
André Senna (Cineasta)
Andrei Bueno Carvalho (Produtor e Realizador Audiovisual, Diretor Técnico-Artístico na AVEC-PR e associado da APAN)
Andrew Knoll (Ator, diretor, roteirista)
Antônio Gonçalves Jr (Produtor)
Argel Medeiros (Distribuidor)
Beatriz Avila Vasconcelos (Coordenadora do Mestrado em Cinema e Artes do Vídeo da UNESPAR)
Bruna Junskowski (Jornalista e produtora cultural)
Bruno Costa (Cineasta)
Bruno Freddi Mancuso (Conselheiro Municipal de Cultura de Curitiba, Palhaço e Produtor Audiovisual)
Bruno Lopes Saling (artista cênico, roteirista e designer gráfico)
Camila Macedo (Pesquisadora e curadora)
Carlinda Maria Fischer Mattos (Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa)
Carlos Roberto de Souza (Professor do Programa de Pós-Graduação em Imagem e Som Universidade Federal de São Carlos)
Carol Almeida (Pesquisadora e crítica de cinema)
Cássio Kelm Soares (Cineasta)
Christopher Faust (Cineasta)
Daniele Sena Durães (bailarina, fotógrafa, videomaker e pesquisadora das artes do vídeo)
Danielle Franco (Produtora de acessibilidade audiovisual)
Di Florentino (Cineasta)
Diego Henrique Zerwes Ferreira (Tradutor e escritor)
Eduardo Baggio (Professor de cinema na Unespar, cineasta e membro do conselho deliberativo da Socine – Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual)
Eduardo Calegari (Cineasta)
Eduardo Colgan (Cineasta e editor de vídeo)
Elisandro Dalcin (Diretor de Fotografia)
Ester Marçal Fér (Professora UNILA, integrante MAP)
Eugenia Castello (Assistente de direção)
Fabiana Farah de Souza (Terapeuta corporal)
Fábio Allon (Cineasta)
Felipe Prando (Fotógrafo e professor adjunto da UFPR)
Fernando De Macedo (Produtor audiovisual)
Francisco Benvenuto Gusso (Cineasta)
Frankly da Silva Lima (Estudante de Pedagogia na UFPR)
Gabriela Quadros Ribeiro (Pesquisadora em cinema)
Gabrielle Windmuller de Siqueira (Diretora de arte e produtora de arte)
Gil Baroni (Produtor, diretor e roteirista)
Giovanni Comodo (Cineclubista, membro suplente do Conselho Estadual de Cultura do Paraná [CONSEC] representando a área de Audiovisual)
Guilherme Daldin (Cineasta)
Guilherme Weber (Ator e diretor)
Gustavo Pinheiro (Advogado)
Guto Pasko (Diretor, roteirista e produtor)
Heloísa Passos, ABC, DAFB (Cineasta, diretora de fotografia e membro, nos Estados Unidos, da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas)
Hernani Heffner (Diretor da Cinemateca do MAM-RJ)
Isabele Villatore Orengo (Produtora)
Isadora Mattiolli (Professora do Bacharelado em Artes Visuais UNESPAR)
Jaciara Rocha (Cineasta e integrante MAP)
Jessica Candal (Roteirista e diretora audiovisual)
Joana Nin (Diretora e produtora audiovisual)
João Luiz Vieira (Professor Titular Universidade Federal Fluminense)
João Urban (Fotógrafo)
Julia Trombine (Jornalista e pesquisadora de cinema)
Juslaine Abreu Nogueira (Professora Adjunta – Bacharelado em Cinema e Audiovisual – Unespar)
Katia Horn (Artista)
Kelvin Cigognini (Técnico em Rádio, TV e Cinema)
Kênia Freitas (Crítica e pesquisadora de cinema)
Kleber Mendonça Filho (Diretor, roteirista e coordenador de cinema do Instituto Moreira Salles)
Larissa Lovisi (Produtora audiovisual)
Leticia Largura Martins (Produtora cultural)
Letícia Nascimento (Roteirista)
Lidia Sanae Ueta (Artista visual)
Lígia de Mello Teixeira (Cineasta)
Louise Fiedler (Cineasta)
Luiz Antonio Santana da Silva (Coordenador do Cine & Vídeo Tarumã, projeto de extensão da Universidade Federal do Amazonas)
Luiz Ernani Lepchak Junior (Cineasta / Técnico de Som)
Marcelo Munhoz (cineasta, professor e produtor)
Marcus Mello (Gestor Cultural – Cinemateca Capitólio – RS)
Maria Fernanda Curado Coelho (Coordenadora de Preservação da Cinemateca Brasileira/SAv/MinC de 2000 a 2008)
Mariana Ribeiro Lenartovicz (Palhaça, atriz e cabareteira)
Mariana Sanchez (jornalista, roteirista e produtora cultural)
Maritza Muniz dos Santos (Roteirista)
Michael Markus Zeller (Ator e tradutor)
Milena Silvino Evangelista (Gestora cultural)
Milla Jung (Artista visual e pesquisadora)
Myrna Silveira Brandão (Presidente do Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro – CPCB)
Nathalia Tereza do Carmo Taques (Roteirista e diretora)
Nena Inoue (Atriz, produtora diretora teatral)
Paula Gomes (Produtora e distribuidora audiovisual)
Paulo Scarpa (Tradutor)
Pedro de Andrade Lima Faissol (Professor – Universidade Estadual do Paraná)
Pedro Giongo (Cineasta)
Rafael Urban (Diretor, produtor e professor de cinema na EICTV)
Raiane Rodrigues (Produtora Audiovisual)
Rebeca Ribeiro Gomes (UNILA)
Rodrigo Sousa e Sousa (Produtor e Professor de Cinema)
Rudolfo Auffinger (Produtor cultural)
Sabrina Silva de Almeida (Artista e professora de técnicas circense/palhaça)
Sandra Aparecida Bonvechio (Professora e pesquisadora)
Solange Stecz (Membro do Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO-MOWBRASIL)
Sonia Farah (Aposentada)
Sônia Procópio Cardoso (Produtora Audiovisual e Roteirista)
Thaiane de Toledo (Professora de arte e pesquisadora das Artes do Vídeo)
Thais Aguiar (Cineasta – MAP)
Thiago Bezerra Benites (Cineasta)
Thiago Dominoni (Diretor Teatral da CIA de Teatro da Biblioteca Pública do Paraná)
Tiago de Oliveira Felipe (Graduando em Cinema e Audiovisual)
Tina Hardy (Editora e produtora audiovisual)
Tomás von der Osten (Cineasta e professor de cinema na UNESPAR)
Ulisses Galetto (Músico, designer de som, pesquisador e professor)
Valdir Heitkoeter de Melo Junior (Professor e pesquisador em Artes Visuais e Cinema)
Virginia Osório Flores (Professora – UNILA)
Vivian Britsch (Produtora Cultural)
Waldir Segundo (Curador e pesquisador de cinema)
Wellington Sari (Cineasta)
William Biagioli (Diretor, roteirista, produtor e programador)

#FicaCrisNoMISPR

Se puder, assine o Plural. Você pode escolher o valor que quer pagar. Isso faz muita diferença para nós: ser financiados por leitoras e leitores. As assinaturas nos mantêm funcionando com uma equipe que hoje tem oito pessoas e dezenas de colaboradores. Somos um jornal que cobre Curitiba em meio aos obstáculos da pandemia e fazemos isso com reportagens objetivas, textos de opinião e de cultura, charges e crônicas. Obrigado pela leitura.

2 comentários sobre “Artistas mandam carta a Ratinho pedindo que não troque diretora do MIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias